Filhote de veado resgatado em São Roque (SP) ainda não tem destino certo

Filhote de veado resgatado em São Roque (SP) ainda não tem destino certo

Por Luisa Annunciato

SP Sorocaba veado destino certo

A Polícia Ambiental de Sorocaba vai decidir nesta quinta-feira (25) o destino do filhote de veado fêmea apreendido pela Polícia Militar de São Roque (SP) no dia 4 de fevereiro. O animal estava sob os cuidados do médico veterinário e presidente do Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos dos Animais – COMPDA – José Alexandre Pierroni há vinte dias. O filhote não foi machucado e está saudável.

Uma equipe da Polícia Militar Ambiental foi, na manhã desta quinta-feira, até a clínica veterinária para retomar o animal e levá-lo para um local apropriado. Segundo informações da Polícia Ambiental, o filhote será possivelmente destinado a algum Zoológico na região, ou  para um Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), também na região.

O veterinário José Alexandre Pierroni recebeu o animal no dia 4 de fevereiro e estava cuidando dele desde então. De acordo com Alexandre, o veado está bem e se alimenta cinco vezes ao dia de leite sem lactose. “Aos poucos estou tentando dar capim para ela comer e começar a se acostumar”, relata.

O caso

A Polícia Militar Ambiental realizava uma operação de bloqueio na avenida Varanguera, bairro Guaçu, em São Roque, no dia 4 de fevereiro, quando pararam um automóvel que transportava o animal silvestre. No carro, além do motorista, estavam mais dois homens. O motorista disse à polícia que que encontrou o animal na estrada e resolveu levá-lo para casa. 

Por se tratar de um animal silvestre, os policiais apreenderam o filhote e os envolvidos foram levados à delegacia para prestarem esclarecimentos. No plantão policial foi constatado que a documentação do veículo estava irregular e que o motorista não possuía a carteira de habilitação.

Posteriormente, os envolvidos foram liberados e o carro foi apreendido. O motorista deve responder, além das irregularidades de trânsito, por transportar animal silvestre.

Fonte: Cruzeiro do Sul

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.