Filhotes de cachorro-do-mato são resgatados em canavial após desgarrarem-se da mãe em fuga de incêndio

Filhotes de cachorro-do-mato são resgatados em canavial após desgarrarem-se da mãe em fuga de incêndio
Filhotes de cachorro-do-mato recebem tratamento em clínica veterinária — Foto: Carlos Volpi/TV Fronteira

Dois filhotes de cachorro-do-mato foram resgatados em uma área de plantio de cana-de-açúcar localizada no município de Monte Castelo (SP). A suspeita é de que eles tenham se desgarrado da mãe ao tentarem fugir de um incêndio nas proximidades do local onde foram encontrados.

Segundo o sargento Robson Dinardi, da Polícia Militar Ambiental, o casal foi salvo por populares e levado para uma clínica médica veterinária de Monte Castelo.

“A Polícia Militar Ambiental foi solicitada para buscar os animais e de lá os levamos até a casa de um médico veterinário em Dracena [SP]”, conta Dinardi.

Ainda conforme o sargento, os filhotes foram levados em uma caixa e embrulhados com panos para mantê-los aquecidos em razão do frio que atinge a região.

Filhotes de cachorro-do-mato recebem tratamento em clínica veterinária. — Foto: Carlos Volpi/TV Fronteira

“Eles não apresentavam sinais de hipotermia e lesões graves, no entanto, o machinho tinha machucados em uma das perninhas e patinhas”, conta o médico veterinário Colombo Guerra Carvalho Júnior, que recebeu os cachorrinhos-do-mato em sua própria casa.
 

Ele diz que, no período noturno, os filhotinhos são levados para a sua casa, enquanto, durante o dia, ficam na clínica veterinária.

“Os filhotinhos estão bem e acreditamos que a mãe possa tê-los abandonado durante um incêndio próximo à área onde foram encontrados. Eles estão recebendo uma mamadeira de duas em duas horas, que é à base de leite de vaca e gema de ovo”, salienta.

Filhotes de cachorro-do-mato recebem tratamento em clínica veterinária. — Foto: Carlos Volpi/TV Fronteira

Carvalho Júnior diz que os cachorrinhos-do-mato pesam em torno de 400 gramas, cada um, e têm cerca de um mês de vida.

“Já demos até nomes para eles, que se chamam João e Maria”, diz o veterinário, em alusão ao conto infantil em que uma menina e um menino se perdem e posteriormente são encontrados.

Carvalho Júnior explica que os filhotinhos irão permanecer sob os cuidados da clínica veterinária até a reabilitação do seu quadro de saúde e possivelmente serão encaminhados na próxima semana pela Polícia Militar Ambiental a uma associação que cuida de animais silvestres.

“Provavelmente iremos levá-los para a Apass [Associação Protetora de Animais Silvestres], em Assis [SP], ainda sem um dia previsto da próxima semana”, adianta o sargento da Polícia Militar Ambiental. 

“Realmente, pela própria característica morfofisiológica da cultura da cana-de-açúcar, que é uma cultura de ciclo anual, plantada em grandes talhões e que não permite manejos após o terceiro mês de rebrota, os animais silvestres acabam por fazer dela um refúgio natural”, ressalta Dinardi.
 

“É natural, portanto, encontrarmos diversas espécies cumprindo parte de seu ciclo de vida nesta cultura. Porém, acidentes deste tipo podem vir a ocorrer no momento da colheita”, observa.

Filhotes de cachorro-do-mato recebem tratamento em clínica veterinária. — Foto: Carlos Volpi/TV Fronteira

Dispersor de sementes
 
O cachorro-do-mato (Cerdocyon thous) é uma espécie distribuída desde a Venezuela e a Colômbia até o sul do Uruguai e o Paraguai, excluindo as áreas baixas da Bacia Amazônica.

Alimenta-se de frutos, pequenos mamíferos, aves, répteis, anfíbios, peixes, insetos e carniça.

O período de gestação é, em média, de 56 dias. As fêmeas produzem de três a seis filhotes por ninhada. Os filhotes são desmamados perto de 90 dias.

Filhotes de cachorro-do-mato recebem tratamento em clínica veterinária. — Foto: Carlos Volpi/TV Fronteira

O cachorro-do-mato circula ao anoitecer. Pode ser observado andando em duplas e caça individualmente, mas também, comumentemente, aos pares.

Quando jovens, as caçadas podem acontecer até em grupos (de três a quatro indivíduos). Um adulto mede até 64 centímetros de comprimento, sem contar a cauda (com 31 centímetros). Seu peso pode chegar a 8,5 quilos.

A pelagem é cinza com preto, às vezes também com marrom-claro. O cachorro-do-mato tem patas pretas ou escuras. Outras características são a cauda peluda com ponta preta e orelhas médias, ligeiramente arredondadas e escuras nas pontas.

Devido ao alto consumo de frutos, pode agir como dispersor de sementes.

Filhotes de cachorro-do-mato recebem tratamento em clínica veterinária. — Fotos: Carlos Volpi/TV Fronteira

Por Carlos Volpi

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.