Filhotes que recorreram ao canibalismo para sobreviver em uma fazenda de carne na Coreia do Sul foram resgatados

Filhotes que recorreram ao canibalismo para sobreviver em uma fazenda de carne na Coreia do Sul foram resgatados
Foto: LIFE/ HSI.

“Era como o inferno. Muitos dos cães eram apenas pele e ossos”, disse a organização HSI após o resgate em uma fazenda.

A Humane Society International (HSI) informou que resgatou cerca de 100 cães que estavam enjaulados em uma fazenda ilegal em Gimpo, na Coreia do Sul.

Por meio de um comunicado, a HSI indicou que, com a ajuda de um grupo local de defensores dos direitos dos animais chamado LIFE, junto com funcionários federais e regionais da Coreia do Sul, eles encontraram mais de sete raças diferentes de cachorros enjauladas em uma fazenda onde eram vendidos como animais de estimação e como carne para consumo.

“Muitos dos cães sofriam de desnutrição grave e problemas de pele dolorosos por viverem nas próprias fezes. Vários foram encontrados amontoados ao lado dos corpos sem vida de seus companheiros de gaiola mortos que aparentemente morreram de fome, enquanto outros pareciam ter recorrido ao canibalismo simplesmente para sobreviver, com suas tigelas deixadas vazias pelo fazendeiro que disse não estar recebendo o suficiente para alimentá-los. Mais cachorros mortos foram encontrados armazenados em um freezer desativado na propriedade”, disse a HSI em um comunicado.

“A organização de direitos dos animais, que fechou 17 fazendas de carne de cachorro, prestou assistência ao grupo coreano LIFE para resgate, abrigo e cuidados veterinários de emergência para os cães.”
Crédito: [1, 2] – LIFE/ HSI.

“Este é um exemplo realmente chocante de um problema comum aqui na Coreia do Sul, onde os cachorros são criados nas piores condições para maximizar os lucros. É hora da sociedade sul-coreana impor controles sobre a criação de cães para venda. Se não encontrarmos uma solução, esse tipo de sofrimento animal continuará. Os coreanos que estão revoltados com o terrível sofrimento desses cães devem perceber que é a demanda da sociedade por filhotes de animais de estimação e carne de cachorro que impulsiona esse tipo de crueldade. Se pudermos mudar nosso comportamento, podemos mudar o destino desses cachorros”, disse In-Seob Sim, presidente da LIFE.

“Quando visitei a fazenda de cães pela primeira vez, foi chocante demais para assimilar o que estava vendo. Eu resgatei milhares de cães de muitas fazendas de carne de cachorro na Coreia do Sul, mas este lugar era um inferno. Muitos dos cães eram apenas pele e ossos, e era difícil encontrar cães de aparência “normal” porque seus corpos estavam devastados pela fome e doenças de pele. Eu estava com tanto medo de que seus ossos frágeis se quebrassem quando eu os tirasse de suas gaiolas, então fui de maneira cuidadosa e gentil. Quase nenhum deles tinha energia para lutar de qualquer maneira. Chegamos bem a tempo para alguns, não acho que poderiam ter sobrevivido mais um dia. Estou muito feliz que a LIFE nos pediu para fazer parte deste resgate, foi um grande alívio tirar esses cães daquele lugar horrível”, acrescentou Nara Kim, Diretora de Campanha da HSI.

Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: Cultura Colectiva

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.