Fim dos testes em animais: L’Oreal quer ‘imprimir’ pele humana e testar seus produtos no material

Fim dos testes em animais: L’Oreal quer ‘imprimir’ pele humana e testar seus produtos no material

loreal

A L’Oreal anunciou uma parceria com a startup Organovo, especializada em impressão biológica, para descobrir como usar impressoras 3D para imprimir pele humana – tudo para testar os cosméticos. “Somos a primeira empresa de beleza trabalhando com a Organovo”, disse o vice-presidente global de tecnologia da L’Oreal, Guive Balooch, para o site Bloomberg.

Processo atual de produção de pele

Não é a primeira vez que a L’Oreal produz pele. Para evitar o uso de animais em testes dos cosméticos, a empresa começou a “cultivar” pele na década de 1980. Em Lyon, na França, esse processo é executado em laboratórios gigantescos, inteiramente dedicados ao estudo e análise tecidos humanos. Cerca de 60 cientistas trabalham no local, fazendo crescer mais de 100 mil amostras de pele por ano – o equivalente a cinco metros quadrados de pele.

O método atual utiliza amostras de pele cultivadas a partir de tecidos doados por pacientes de cirurgia plástica. Essas amostras são cortadas em fatias finas e divididas em células que, por sua vez, são colocadas em ambiente especial, expostos a sinais biológicos que imitam os da pele real. A L’Oreal usa metade da pele que produz e vende o resto para empresas farmacêuticas e alguns concorrentes da indústria de cosméticos. Nove variedades de pele estão disponíveis, cobrindo uma gama de idades e etnias.

Novo processo de produção de pele

Juntamente com a Organovo, a L’Oreal tenta agilizar e automatizar a produção da pele nos próximos cinco anos. O projeto será realizado nos laboratórios da Organovo, em San Diego, e no novo centro de pesquisas da L’Oreal Califórnia.

A L’Oreal irá fornecer conhecimentos de produção dermatologica e todo financiamento inicial, enquanto a Organovo, que já está trabalhando com outras empresas para imprimir tecidos hepáticos e renais, irá fornecer a tecnologia. A empresa de cosméticos terá direitos exclusivos para a impressão 3D de pele desenvolvida pela Organovo.

Fonte: Paraíba.com.br 

Nota do Olhar Animal: As novas tecnologias vão surgindo à medida que cresce a pressão da sociedade pelo fim dos testes. E também pelo aumento do interesse da indústria em testes mais confiáveis e mais baratos a longo prazo. O título da matéria alardeia o fim dos testes, mas há que se ponderar que as grandes multinacionais que atuam na China e outros países continuam testando por conta da legislação, que exige os experimentos. Será dado um grande passo quando para o fim dos testes quando caírem tais exigências. 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.