Foca dormindo sobre garrafa de água revela o futuro preocupante que deve estar à nossa frente

Foca dormindo sobre garrafa de água revela o futuro preocupante que deve estar à nossa frente

Por Veronica Chavez / Tradução de Jade Medeiros

O primeiro produto de plástico que foi criado era baseado em um polímero sintético feito de fenol e formaldeído, com os primeiros métodos sintéticos viáveis e baratos inventados em 1907, por Leo Hendrik Baekeland, um americano nascido na Bélgica que vive no estado de Nova York. Duvidamos que Baekeland tivesse alguma suspeita do quão onipresente o plástico se tornaria na sociedade ou, mais essencialmente, a magnitude da destruição que seria causada por ele. Caso você não sabia, nós temos um grande problema em nossas mãos com relação ao plástico. Enquanto, sim, claro, o plástico é incrivelmente conveniente, versátil e barato, é também incrivelmente danoso ao meio ambiente. Diferente de outros materiais, o plástico nunca se desfaz, em vez disso ele se quebra em pedaços cada vez menores com o tempo. Muito antes de se quebrar nessas partículas, no entanto, ele flutua pelo oceano. Na verdade, 8,8 milhões de toneladas de plástico vão parar no oceano todo ano.

Além de poluir os oceanos, estes materiais de plástico provocam uma séria ameaça para centenas de animais marinhos, de fato, cerca de 700 espécies marinhas estão em risco de extinção graças ao nosso hábito de produzir plástico. Esses animais estão ameaçados de emaranhamento, ingestão e exposição à toxina – e se nada for feito para diminuir a quantidade de plástico nos oceanos, este problema vai apenas persistir e crescer. Quando os animais não são afetados pelo plástico, eles tornam-se alarmantemente acostumados a isso. Nós vimos um caranguejo usar plástico descartado como uma concha improvisada, um pássaro se aconchegar a um recipiente plástico como se fosse um ninho e um veado brincar com plástico como se fosse um brinquedo.

Quando os animais estão rodeados pelo plástico dessa maneira, não há dúvida de que estão com uma percepção distorcida de com o que o seu habitat deveria realmente se parecer. Para piorar as coisas, nós essencialmente não temos maneiras de alertar esses animais para o grande dano que o plástico pode causar à sua saúde e, portanto, estão preparando-os para o desastre. De fato, considerando os efeitos prejudiciais que o plástico tem no nosso meio ambiente, nossas águas subterrâneas e nosso oceano, nós estamos nos preparando para o desastre também…

O Que Você Pode Fazer

Enquanto esforços estão sendo feitos para remover resíduos das vias navegáveis, melhorar os sistemas de reciclagem, e inovar barreiras para evitar o plástico de chegar às vias navegáveis, nós podemos todos agir em nossas vidas cotidianas para impedir o desperdício de plástico na sua origem.

“O plástico é onipresente na sociedade moderna e parece ser inevitável. Mas é válido arriscar a vida das espécies marinhas, a saúde dos oceanos e nosso próprio futuro em nome da conveniência? Tomando medidas para minimizar os produtos de plástico no nosso cotidiano, podemos coibir o plástico em sua origem e dar à vida marinha uma chance de lutar”, diz Nil Zacharias, Cofundador e Editor-Chefe do One Green Planet (Um Planeta Verde).

Se nós todos fizermos um esforço para identificar onde usamos plástico e ativamente procurarmos por alternativas, nós poderemos diminuir drasticamente a quantidade de poluição que o plástico causa aos oceanos.

Sendo uma organização líder na vanguarda do movimento de consumismo consciente, o One Green Planet acredita que reduzindo o plástico diário em nossas vidas não significa desistir de algo ou sacrificar a comodidade, mas aprender a colher o benefício máximo dos itens que você usa todos os dias enquanto causa o mínimo de impacto.

EUA Novaiork focaplastico 2

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.