Fome atinge animais e pessoas no zoológico de Gaza

Fome atinge animais e pessoas no zoológico de Gaza
Twitter/@TomMcArthur

No zoológico de Rafah, dezenas de indigentes e pessoas desalojadas de Gaza estão acampadas entre as jaulas onde macacos, papagaios e leões famintos clamam por comida 12 semanas após o início da ofensiva israelense.

Quase todos os 2,3 milhões de habitantes de Gaza foram expulsos das suas casas devido aos bombardeios que reduziram grande parte do território a escombros. Muitos agora lotam a cidade de Rafah, no sul, com seus abrigos lotados nas esquinas e nos terrenos baldios.

No zoológico particular, administrado pela família Gomaa, havia uma fileira de tendas de plástico perto dos currais dos animais e roupas penduradas em cordas entre palmeiras. Perto dali, um trabalhador tentou alimentar com as mãos um macaco bastante enfraquecido com fatias de tomate.

Muitos dos que estavam abrigados no zoológico são membros da extensa família Gomaa que viviam em diferentes partes do enclave antes do conflito destruir suas casas.

“Há muitas famílias que foram completamente exterminadas. Agora toda a nossa família está neste zoológico”, disse Adel Gomaa, que fugiu de Gaza. “Viver entre os animais é mais misericordioso do que aquilo que recebemos dos aviões de guerra no céu.”

Quatro macacos já morreram e um quinto está tão fraco que não consegue nem se alimentar quando há comida disponível, disse o proprietário do zoológico, Ahmed Gomaa.

Por Mohammed Salem e Bassam Masoud

Fonte: Terra


Nota do Olhar Animal: O zoológico de Gaza já era o próprio inferno para os animais antes da guerra. E agora, com o conflito, a situação piorou drasticamente.

Nove razões para não visitar zoológicos

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.