Foram de férias e culparam madrasta por deixar animais a morrer à fome

Foram de férias e culparam madrasta por deixar animais a morrer à fome
Foto: Getty Images

Um casal oriundo de Surrey, no Reino Unido, programou umas férias de luxo sem ter acautelado minimamente as condições de sobrevivência dos três animais que tinham ao seu encargo: um cão e três gatos.
De acordo com o The Telegraph, David Hicks, de 41 anos, e a mulher Zara Hicks partiram a 28 de agosto do ano passado e os animais viriam a ser encontrados a 8 de setembro pelas autoridades, que receberam ordem de mandado para, no interior da habitação, encontrar os animais em estado deplorável.

Um dos gatos foi encontrado já morto, junto à placa do fogão da cozinha, alegadamente à procura de algo para comer. Os outros dois estavam ainda vivos, mas em condições de magreza extrema e praticamente à beira da morte.

Regressados de férias, David e Zara foram de imediato chamados a tribunal, onde não tardaram a depositar as culpas na madrasta de David, que diziam ter ficado responsável por alimentar os animais, alegações essas que, mais tarde, se viriam a revelar serem falsas, confirmando assim a tese de total negligência na forma como deixaram os animais abandonados.

Na leitura da sentença, ambos ficaram expressamente proibidos de adotarem qualquer animal nos próximos 12 anos, além de terem sido obrigados a pedirem, publicamente, desculpa aos filhos em tribunal por aquilo que fizeram.

Por fim, David foi condenado a uma pena de prisão de 16 semanas (suspensa por um período de dois anos), juntamente com 160 horas de trabalho comunitário, além do pagamento de 400 libras. Zara, por seu lado, foi condenada a 20 semanas de prisão (pena suspensa durante dois anos), 200 horas de trabalho comunitário e uma multa também ela de 400 libras, algo como 461 euros.

Por João Oliveira 

Fonte: Notícias ao Minuto / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.