Frequentadores denunciam maus-tratos de peixes em parque na zona sul de Ribeirão Preto, SP

Frequentadores denunciam maus-tratos de peixes em parque na zona sul de Ribeirão Preto, SP

Frequentadores do Parque Luis Carlos Raya no Jardim Botânico, zona sul de Ribeirão Preto (SP), dizem que o desligamento das cascatas artificiais e a redução no nível da água dos lagos têm prejudicado os peixes que vivem no local.

Vídeo: Frequentadores denunciam maus-tratos de peixes em parque na zona sul de Ribeirão Preto

Procurada pelo Jornal da EPTV, a Prefeitura de Ribeirão não se posicionou sobre o problema.

A denúncia de maus-tratos é confirmada pelo ambientalista Paulo Finoti, explicando que a situação é grave e que, sem as cascatas, a oxigenação da água fica prejudicada.
“Isso auxilia não só o crescimento, como evita problemas em termos de doenças nos peixes. Pode causar mortandade porque diminui a oxigenação da água”, diz.

Frequentadores do Parque Luis Carlos Raya dizem que nível da água na lagoa artificial diminuiu (Fotos: Paulo Souza/EPTV)

Finoti afirma também que a procriação descontrolada e a ausência de manejo também causam desequilíbrio ao ecossistema. Em alguns pontos do lago, onde é mais raso, os peixes nadam de lado.

“Precisamos retirar o excesso e transferir para outros locais, ou então fornecer a creches ou instituições onde podem servir de alimentação, depois que se fizer uma análise da qualidade de saúde deles”, orienta.

O aposentado João Nunes diz que o excesso de peixes nos lagos artificiais é visível, assim como a falta de alimentação: basta jogar migalhas de pão na água para flagrar a disputa por comida.

“Não tem trato e é pouca água. Com o sol quente, morre tudo. Tem que jogar um trato para os peixes. Joguei um pão e comeram tudo, dá dó, morre tudo”, afirma.

Cascata do Parque Luis Carlos Raya foi desligada durante o carnaval

A queixa é compartilhada pela aposentada Sueli Aparecida Dias. Ela afirma que vai diariamente ao parque para alimentar os peixes e relata que o nível da água dos lagos diminui a cada dia.

“Não tem ninguém para tratar dos peixes. No fim de semana, ficam sem comer. Eles são seres vivos e eu fico com dó. Já faz um ano que eu trato deles, e faço por amor”, diz.

Ambientalista alerta para o excesso de peixes em lagos artificiais no Parque Luis Carlos Raya

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.