‘Fuga de tartarugas’ motiva cobrança do MP à prefeitura de Joinville, SC

‘Fuga de tartarugas’ motiva cobrança do MP à prefeitura de Joinville, SC
Tartarugas em fuga chamaram a atenção do MP – Foto ilustrativa: Pixabay

A fuga de uma tartaruga em Joinville, no Norte de Santa Catarina, motivou uma cobrança do Ministério Público. É que o animal saiu do lago em que vive e foi para a rua, correndo o risco de ser atropelado, situação pela qual outras tartarugas também têm passado.

A cobrança do MP à prefeitura foi feita depois que uma moradora da cidade passava perto do Museu de Arte de Joinville, no início deste mês, quando se deparou com uma tartaruga andando em direção à rua XV de Novembro, na região central.

Preocupada com a possibilidade de o réptil ser atropelado, ela o acolheu e o levou até a Praça dos Suíços, onde funcionários que cuidam do local informaram que a “fuga das tartarugas” é comum, já que elas saem para procurar comida.

Diante da situação, a moradora procurou o Ministério Público que, com base na informação, enviou ofício à prefeitura de Joinville questionando a presença e o tratamento oferecido às tartarugas no local.

Tartarugas estão vivendo no lago do MAJ – Foto: Secom/Prefeitura de Joinville/Divulgação ND
Tartarugas estão vivendo no lago do MAJ – Foto: Secom/Prefeitura de Joinville/Divulgação ND

No documento, a promotora Simone Cristina Schultz pede que a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente informe se é possível manter as tartarugas do local, já que não há cercamento, e se elas recebem tratamento adequado, incluindo alimentação e cuidados veterinários, além de controle populacional.

Já se não for possível manter as tartarugas no lago do MAJ, o MP quer saber quais providências serão tomadas. O município tem dez dias para responder, contados a partir do recebimento do ofício.

Ao ND+, a prefeitura disse que ainda não tem informações sobre a questão, mas que as tartarugas não foram colocadas no local pelo município.

Fonte: ND+

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.