Fujama resgatou 34 animais silvestres em menos de um mês em Jaraguá do Sul, SC

Fujama resgatou 34 animais silvestres em menos de um mês em Jaraguá do Sul, SC
Crédito: Divulgação / PMJS

A Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama) realizou o resgate de 34 animais silvestres desde 22 janeiro até o momento. O número é expressivo e coincide com o período de verão em que o metabolismo dos animais é acelerado e eles saem de seus habitats a procura de alimento. O resgate é feito mediante solicitação no número de telefone da Fujama (3273-8008) – segunda a sexta, das 7h30 às 17 horas – ou por meio de registro na Ouvidoria da Prefeitura (0800-642-0156).

Em comparação com o mesmo período do ano passado, 42 animais resgatados, o número deste ano foi um pouco menor, mas ainda assim, expressivo. O coordenador do serviço de resgate, o biólogo Christian Lempek, atribui a quantidade de resgates também ao conhecimento, por parte da população, do serviço e de como agir em casos de encontrar animais silvestres próximo de casa. Em todo o ano passado foram resgatados 263 animais. “Sempre pedimos para que as pessoas não matem o animal e, sim, chamem pelo serviço, que irá resgatar o animal e devolvê-lo ao seu habitat natural, contribuindo com o ecossistema. O serviço está disponível 24 horas por dia, pois quando a Fujama está fechada (à noite, finais de semana), é possível solicitar o resgate aos Bombeiros, no telefone 193”, detalha Lempek.

Em sua maioria os animais resgatados foram gambás e cobras, mas também houve registros de jabuti – na Ilha da Figueira; gato-do-mato-pequeno – encontrado atropelado, já sem vida, no Rio da Luz; coruja murucututu-de-barriga-amarela, na Barra do Rio Cerro. O gato-do-mato-pequeno, espécie em extinção, foi encaminhado para taxidermização em Curitiba (PR) e servirá como objeto de estudo para crianças, adolescentes e adultos durante exposições.

Caçadores flagrados por armadilhas da Fujama

No início deste ano, ao verificar as imagens captadas por armadilhas fotográficas implantadas na mata pela Fujama, qual não foi a surpresa da equipe ao verificar que dois homens – e não animais silvestres – haviam sido flagrados em meio à Mata Atlântica com espingardas e cachorros. As imagens são de outubro do ano passado, período de reprodução dos animais silvestres. Além de imagens fotográficas, há filmagens também. Agora a Fujama irá registrar Boletim de Ocorrência na Polícia Civil e a ocorrência será investigada. A caça é considerada crime ambiental e pode acarretar detenção de seis meses a um ano, além de multa. Também será investigado o registro e porte das armas.

Fonte: Diário da Jaraguá / Jaraguá FM

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.