Funcionário público arrasta brutalmente um cão com sua caminhonete

Funcionário público arrasta brutalmente um cão com sua caminhonete
Foto: Vídeo Imagem

Um funcionário da área da Defesa Civil do partido bonaerense da província de Chacabuco, na Argentina, pendurou um cão no veículo municipal e enquanto ele se debatia repetidamente contra o asfalto avançou pelo menos 200 metros. Dois vizinhos que vinham atrás do veículo oficial filmaram o episódio e seguiram o carro para logo chamar o condutor, que disse não haver se dado conta que o cão estava sendo arrastado.

O vídeo logo foi divulgado nas redes sociais, onde viralizou e despertou a indignação dos usuários. Em pouco tempo o prefeito Victor Aiola anunciou a suspensão do agente envolvido, a quem identificou como sendo Carlos Veleche.

“Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras e este momento o confirma. É inaceitável, inadmissível: nada pode justificar que se trate a um animal assim”, disse o prefeito.

Através de sua conta no Facebook, ele informou à comunidade que decidiu “iniciar um processo administrativo e o afastamento preventivo do cargo”.

Além disso, Aiola comunicou que indicou a seu secretário de justiça que “informe a fiscalização para que, no caso de ser pertinente, sejam de imediato feitas as atuações correspondentes”.

“Vou fazer tudo que esteja ao meu alcance para que isto não volte a acontecer e para que a pessoa que praticou tal ato de violência pague como deve ser”, manifestou o prefeito, concluindo que “nada justifica agir assim, os animais possuem direitos e eu tenho a obrigação de velar por eles”.

Por fim, ele assegurou que “o cão se encontra estável e fora de perigo”.

Um episódio similar havia sido registrado meses atrás em Tigre. Nessa oportunidade, um Pitbull foi atado a um para-choque e, dada a velocidade com que circulava o veículo, o animal sofreu sérias lesões no focinho, patas e lombo. O caso terminou com dois funcionários demitidos.

Tradução de Nelson Paim

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.