Funcionários de Prefeitura de SC são suspeitos de envenenar cães

Carro da Prefeitura foi fotografado por moradores no local do envenenamento. Ocorrência foi registrada no município de Gravatal, no Sul de Santa Catarina.

Por Denise de Medeiros

Funcionários da Prefeitura de Gravatal, no Sul de Santa Catarina, são suspeitos de envenenar cães na cidade. Testemunhas fizeram fotos da caminhonete usada na noite do envenenamento e as imagens ajudaram a Polícia Civil nas investigações. Conforme a polícia, o veículo que pertence ao governo municipal de Gravatal.

Segundo a Polícia Civil, o carro é usado pela Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente. Os agentes descobriram também quem estava no carro na hora do crime. De acordo com os policiais, um motorista da prefeitura de 43 anos e outro homem de 46 que confessaram ter envenenado os animais.

A investigação continua na tentativa de identificar outros responsáveis. “Provavelmente, vamos indiciar mais pessoas a respeito desses fatos”, disse Dioní Heder Souza, responsável pela Delegacia da cidade.

O crime aconteceu na madrugada do último dia 8 de março, no Bairro Termas do Gravatal. Segundo a polícia, de 25 a 30 cachorros foram envenenados. Desses, pelo menos dez morreram.

Os animais que sobreviveram foram socorridos por moradores e pela própria prefeitura, que encaminhou os animais para uma agropecuária. Os dois homens suspeitos do envenenamento vão responder por maus tratos. Se forem condenados, a pena é de 3 meses até um ano de detenção.

Segundo o Secretário de Agricultura, o homem que confessou ter jogado veneno para os cães, não é funcionário da prefeitura. Ele teria se oferecido para ajudar na retirada das fêmeas das ruas, já que muitas estavam no cio, atraindo cada vez mais animais abandonados para o bairro.

“Se houve realmente a confissão dessa pessoa em ter feito isso, a pessoa vai responder pelo ato. Agora, nós, como prefeitura, tivemos a orientação foi de sempre retirar apenas as fêmeas do local”, afirmou Tiago Fernandes, secretário de Agricultura e Meio Ambiente.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.