Divulgação

Fundação do Meio Ambiente apresenta ações de defesa animal durante audiência pública em Camboriú, SC

Membros da Fundação do Meio Ambiente de Camboriú (Fucam) participaram da audiência pública sobre os direitos dos animais, promovida pela Câmara de Vereadores na noite de quarta-feira, dia 19. A presidente Liara Rotta Padilha Schetinger apresentou as iniciativas do Município relacionadas à causa – os trabalhos do Programa Tatu de Educação Socioambiental, por exemplo. O evento contou com a participação de organizações, protetores voluntários e representantes de outras entidades.

“O crescimento da população animal é oriundo do desconhecimento e da negligência da sociedade. Cabe ao Poder Público e as associações entrarem em consenso para adotar medidas de sensibilização e promoção de cuidados, como forma de mitigar esse tipo de situação e orientar a comunidade”, compartilha o diretor de Educação Ambiental, Parques e Reservas do município, Rodrigo Snege.

A Fucam oferta castrações de cães e gatos, com até 20 quilos, gratuitamente para a comunidade. Desde 2017, a equipe já realizou 1.559 atendimentos e esterilizou 1.419 animais. Moradores dos bairros Taboleiro, Monte Alegre, Centro e São Francisco de Assis foram os que mais procuraram pelo serviço. Aos protetores voluntários, o Município concedeu 517 procedimentos. “Suspendemos os trabalhos por tempo determinado, após a confirmação de fraudes. As castrações sociais retornarão em outubro, provavelmente, com o auxílio do cadastro em programas de assistência social”, explica Liara.

Outra ação apresentada na audiência foi o projeto – ainda em fase de testes – de veterinário itinerante, que percorre os bairros do município. No veículo, um profissional repassa orientações gerais e realiza atendimentos clínicos de pequenas causas. A iniciativa foi aprovada pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária do estado. Quanto a denúncias, a Fucam atendeu, só este ano, 84 queixas de maus-tratos contra animais.

Fonte: Click Camboriú

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.