Alaina Holdread vende acessórios para ajudar abrigos que cuidam de porcos abandonados - Instagram

Garota de 9 anos cria organização para salvar porcos abandonados

Provavelmente você já se encantou pelos fofos filhos de porquinhos e até, intimamente, desejou ter um só para você. Há alguns desses animais que continuam fofinhos para sempre, mas outros crescem normalmente e acabam se tornando um estorvo para seus enganados tutores. Nos Estados Unidos, uma garotinha de nove anos tem se esforçado para resgatar porcos que, confundidos por porcos geneticamente modificados, têm crescido e sido abandonados por seus tutores.

Alaina Holdread se apaixonou pelos porquinhos em 2017, quando ganhou a sua companheira, Daisy. Dois anos depois, ao invés de continuar pequena, a porquinha se transformou em um animal de cerca de 70 quilos. Apesar da enganação, a família manteve o animal e a experiência despertou a curiosidade da garota.

Em entrevista ao programa Good Morning America, ela contou: “Eu comecei a aprender sobre os mitos que existem sobre porcos vietnamitas, como eles continuam pequenos e são ótimos pets de apartamento. Isso não é verdade e muita gente se desfaz de seus porcos quando descobre isso”.

Com isso em mente, Alaina disse à mãe, Betty Holdread, que gostaria de criar uma organização para salvar os porcos abandonados e, com o apoio, lançou a Pink for Pigs, por onde vende acessórios com temática de porcos e doa os lucros para abrigos que cuidam dos animais e evitar que eles sejam sacrificados.


Nota do Olhar Animal: O termo “estimação” deixou de ser algo positivo no que se refere aos animais, tornando-se sinônimo de mais um tipo de exploração, que causa grande sofrimento a eles. As pessoas acabam por tutelar um “pet” para satisfazer necessidades próprias, preocupando-se minimamente com os interesses dos bichos ou até mesmo dando importância alguma a estes interesses. Criam, assim, situações ainda mais difíceis para os indivíduos de espécies com características diferentes das de cães e gatos, trazendo para seu convívio animais que não se adaptam a ambientes urbano-residenciais.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.