Garrincha, o cão resgatado nos Açores com 96 chumbos no corpo, volta a andar

Garrincha, o cão resgatado nos Açores com 96 chumbos no corpo, volta a andar
Parece outro

Quase dois meses depois do seu resgate, Garrincha recuperou a mobilidade das patas traseiras. O cão salvo da rua pela Associação Cantinho Animais, em Ponta Delgada, nos Açores, foi encontrado num estado deplorável, com 96 chumbos espalhados pelo corpo e a andar com dificuldade com as patas dianteiras. Agora, está cada vez melhor e prepara-se para passar o Natal com uma família de acolhimento temporário (FAT).

“Ele ainda está internado, já foi castrado e agora terá de iniciar um tratamento ao seu problema de pele”, avança à PiT a associação, que já conseguiu arrecadar os 3.500€ necessários para cobrir as despesas da cirurgia, exames e análises prévias. O próximo passo é conseguir fundos para continuar a ajudá-lo.

“O Garrincha é um guerreiro”, frisa. “Ele vai continuar aos cuidados da associação, mas vai para uma família de acolhimento temporário”, acrescenta. O cão milagroso está também cada vez mais confiante ao lado dos humanos e já aceita receber alguns mimos. Desde que recuperou a mobilidade, adora abanar o rabo.

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação compartilhada por Associação Cantinho Animais (@cantinhoanimaisacores)

Uma história de superação

Garrincha foi salvo em Ponta Delgada com 96 chumbos espalhados pelo corpo e ninguém sabe como conseguiu sobreviver ou o que, ao certo, aconteceu. O cão de cerca de sete anos viveu os últimos três pelas ruas açorianas sem conseguir andar com as patas traseiras devido aos maus tratos que sofreu, mas “nunca desistiu”.

Em outubro, depois de várias tentativas, ao longo dos anos, para o apanhar, sempre sem sucesso, foi finalmente recolhido. “Foi feito de tudo: armadilhas, polícia, canil e voluntários. Nunca ninguém conseguiu porque ele tinha pânico de pessoas e corria para a via rápida”, contou-nos a Associação Cantinho Animais na altura.

Por causa das dores dos quase cem chumbos, já não era tão ágil e não conseguia fugir. Houve uma altura em que o cão “deixou de ser visto” pelos moradores até que, certo dia, o grupo de resgate foi informado de que estava num terreno em péssimo estado. “Fomos ao local para o socorrer, estava fraco, sem forças e a caminhar em duas patas. Só desta forma foi possível capturar”, partilhou.

Desde então, tem estado a receber todos os cuidados de que precisa e tem sido um verdadeiro milagre. “Apesar dos elevados custos, decidimos pedir ajuda aos nossos seguidores e tentar salvar a vida deste lutador, que nunca desistiu. Agora, não poderíamos ter melhores resultados”, celebra.

Carregue na galeria para ver a transformação de Garrincha.

Por Izabelli Pincelli

Fonte: Pit / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.