Gato conquista crachá de mascote em hospital do Alto Vale (SC) após fazer amizade com funcionários

Gato conquista crachá de mascote em hospital do Alto Vale (SC) após fazer amizade com funcionários
Gato conquista cracha de mascote em hospital do Alto Vale após fazer amizade com funcionários – Foto: Arquivo pessoal/Reprodução ND

Uma gato pra lá de carismático virou o mascote do Hospital Maria Auxiliadora, em Presidente Getúlio, no Alto Vale do Itajaí. Felisbino, como é carinhosamente chamado no local, chegou de fininho e conquistou a amizade dos funcionários.

A ideia de “promover” o felino a mascote surgiu através de Nicole Fusinato, psicóloga do hospital. Ao portal ND Mais, ela explicou que Felisbino mora com sua tutora em uma casa, logo abaixo do morro onde fica a unidade.

Gato conquistou carinho de funcionários nos horários de café

O gato se divide entre sua residência oficial, onde é chamado de Biguinaldo, e o hospital, onde esbanja simpatia. E sim, ele atende pelos dois nomes.

Nicole conta que a ideia de “adotar” o pet no local surgiu durante uma conversa no horário de café, já que ele costuma seguir os funcionários nesses momentos do dia.

“A nossa copa fica no térreo, fora do hospital, e ele sempre fica ali por fora recebendo vários carinhos, ou seja, é o nosso mascote”, disse.

Chamado pelos funcionários de Felisbino, o gato chegou de mansinho e conquistou a vaga de mascote do Hospital Maria Auxiliadora em Presidente Getúlio. Arquivo Pessoal/Reprodução ND
Chamado pelos funcionários de Felisbino, o gato chegou de mansinho e conquistou a vaga de mascote do Hospital Maria Auxiliadora em Presidente Getúlio. Arquivo Pessoal/Reprodução ND

A psicóloga explica que por questões de higiene e exigências da vigilância sanitária, Felisbino só fica na área externa do hospital, que é bem ampla, onde as pessoas que passam podem fazer carinho nele.

O gato soube aproveitar a oportunidade para ganhar uns carinhos extras e conquistou a vaga de mascote, se tornando um “membro” especial da equipe do hospital.

Por Aysla Pereira

Fonte: ND+

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.