Gato morre ao ser baleado com chumbinho em condomínio no DF

Gato morre ao ser baleado com chumbinho em condomínio no DF
Ferimento causado em Baby, que morreu após ser baleado em condomínio no DF. REPRODUÇÃO/ARQUIVO PESSOAL

Um gato morreu no Distrito Federal ao ser baleado possivelmente com um projétil de chumbinho envenenado. O animal, de 4 anos, sofreu lesões nos rins e ficou com a bala alojada no intestino. A família registrou ocorrência na Polícia Civil e procura o responsável pelo crime. O caso ocorreu no dia 21 de março no Condomínio RK, em Sobradinho.

Baby, como o gato era chamado, foi adotado por Emerson Cavalcante há quatro anos, após aparecer dentro de um dos carros que chegou na oficina de Emerson. Na época, o animal tinha poucas semanas de vida e apresentava queimaduras pelo calor do motor. Emerson e a família fizeram o tratamento, castraram o filhote e o criaram Baby como mascote do estabelecimento.

Emerson e seu gato de estimação, Baby. REPRODUÇÃO/ARQUIVO PESSOAL
Emerson e seu gato de estimação, Baby. REPRODUÇÃO/ARQUIVO PESSOAL

De acordo com Emerson, apesar de ser castrado, Baby costumava passear pelo muro da oficina e retornar pela manhã, porém, no dia 21 de março, o animal não retornou no horário de costume. Ao aparecer de volta, estava ferido e vomitando. A família levou o animal para um hospital veterinário em Sobradinho II. Pelos sintomas apresentados, a família acreditava que Baby havia sido envenenado, mas, ao realizar ultrassom, descobriu que ele foi baleado nas costas.

A veterinária responsável pelo atendimento retirou o projétil, um chumbinho de caça de 5,5 milímetros. Além dos ferimentos internos, o laudo detalha que o animal foi envenenado, pois o modelo de chumbinho era tóxico. O gato não resistiu aos ferimentos e morreu no mesmo dia que foi baleado.

O tutor do animal conta que, há dois meses, o gato retornou de um passeio com a perna furada, mas não suspeitou que ele poderia ter sido baleado e apenas cuidou do ferimento. “Essa pessoa já havia atirado nele, há alguns meses. Eu sei que muita gente não gosta de gato e cachorro, mas não entendo o que leva um ser humano a agir tão covardemente e atirar em um animal”, lamenta Emerson.

A família registrou boletim de ocorrência na 13ª Delegacia de Polícia Civil, em Sobradinho, pelo crime de maus a contra animas. Na esfera penal, o crime prevê reclusão de 2 a 5 anos, multa e proibição da guarda de animais. Em caso de morte do animal, a pena pode ser aumentada.

Procurada pelo R7, a Polícia Civil não se manifestou até a última atualização desta matéria. O R7 também tenta contato com o condomínio. O espaço segue em aberto.

Denúncias de maus-tratos

Denúncias contra crime de maus-tratos a animais podem ser realizadas na ouvidoria do Governo do Distrito Federal, pelo telefone 162 ou pelo site www.ouv.f.gov.br. De acordo com a Secretaria do Meio Ambiente e Proteção Animal, os relatos são encaminhados ao Instituto Brasília Ambiental (Ibram) ou à Delegacia Especial de Proteção ao Meio Ambiente e a Ordem Ubanística (Dema).

A Dema pode ser adionada pelo telefone 197 ou pelo e-mail denuncia197@pcdf.df.gov.br. O Batalhão Ambiental da Polícia Militar atende 24h, todos os dias da semana, pelo telefone 3190-5190.

Por Karla Beatryz (sob supervisão de Fausto Carneiro)

Fonte: R7