Gato rosa é salvo após tutor tentar lavá-lo com produtos de limpeza domésticos

Gato rosa é salvo após tutor tentar lavá-lo com produtos de limpeza domésticos
Já está em segurança.

Quando nasceu, era branco e preto. Agora, são poucos os pelos claros que ainda lhe restam. Em dezembro passado, a Oregon Humane Society (OHS), uma associação de resgate norte-americana, resgatou um filhote de gato com mais da metade do corpo pintado de rosa. O detentor já estava a ser investigado por maus-tratos, porém, acredita-se que o incidente com o felino tenha sido “uma coincidência”.

A investigação foi levada a cabo pela associação e pela Polícia de Portland, além de contar com a ajuda do Centro de Recolha do Condado de Multnomah, em Oregon, Estados Unidos, responsável por acolher a cria e depois encaminhá-la a Oregon Humane Society, onde está a receber os devidos cuidados.

“O centro de recolha ficou com a posse do animal e depois levou-o até ao OHS para ser mantido como prova”, disse Laura Klink, porta-voz da associação, à revista “People”. “A tinta rosa no seu pelo foi uma coincidência e não está relacionada com os maus-tratos relatados”, acrescentou.

Antes de ser recolhido pelos salvadores, o filhote terá sito levado a um hospital veterinário pelo então tutor após este tentar limpá-lo com produtos de limpeza para casa. O gato estava “em choque” e não respondia aos estímulos dos veterinários. “O dono contou-lhes que o gatinho estava com diarreia e que havia tentado lavá-lo com uma mistura de vários produtos de limpeza domésticos”, referiu.

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação compartilhada por Oregon Humane Society (@oregonhumane)

O felino, que já está a recuperar sob a responsabilidade da OHS, “está bem e a receber cuidados numa família de acolhimento temporário experiente”. Laura referiu que a cria ainda tem o pelo rosa e provavelmente irá ficar assim por algum tempo.

“É improvável que a tinta desapareça, mas ficará mais clara com o tempo e será substituída pela sua pelagem natural”, explicou Klink, acrescentando que os tutores devem sempre consultar um veterinário antes de tentar tingir os seus animais. “Há tintas que afirmam ser seguras para os animais de companhia, mas mesmo estas podem causar respostas imunológicas. Não vale a pena correr o risco”.

Em outubro passado, um outro filhote de gato também deu que falar após ter nascido com o pelo verde. O pequeno “milagre da natureza”, como o tutor Sergei Viktorovich lhe chama, nasceu na cidade de Hrodna, na Bielorrússia, de uma ninhada com vários outros irmãos. Contudo, desde o início, Eraser era o único diferente entre o grupo e o proprietário da Inkomservis, uma loja local de materiais escolares e de escritório, não resistiu.

No Instagram, Sergei partilhou que já o levou num veterinário e o médico explicou que a cor invulgar pode ter ocorrido devido a uma falha no gene relacionado com a sua pelagem. Contudo, o pequeno é completamente saudável.

A seguir, carregue na galeria para conhecer os gatinhos rosa e verde.

Por Izabelli Pincelli

Fonte: Pit / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.