Gatos comem arroz cozido com verduras — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Gatos ‘trocam’ ração por alimentos naturais e mantém vida saudável em Palmas, TO

Os gatos que vivem na casa da professora universitária Márcia de Camargo têm uma alimentação regada a verduras, legumes e arroz cozido. Ela decidiu trocar a ração pelos alimentos naturais para evitar doenças. O resultado é positivo. Ela conta que nunca mais os gatos apareceram com infecção urinária ou outro tipo de doença.

Na casa de Márcia é possível contar cerca de 20 gatos. A maioria vive nas ruas, mas passa a maior parte do tempo na residência. Eles são bem cuidados, ganham comida e água fresquinha.

A alimentação dos felinos é composta por abobrinha verde, abóbora, cenoura, acelga e chuchu. A professora corta as verduras e cozinha com arroz. “Tudo isso tem muita vitamina, muita fibra, o que ajuda os gatos a eliminarem os pelos. Você consegue controlar uma diarreia de gato só com legumes”.

No arroz, também é colocado sardinha ou outro tipo de carne. Ela faz a comida cerca de três vezes na semana. “Eu faço vendo televisão, assistindo jornal da noite, quando eu volto da aula. Não me incomoda, é fazer comida como se fosse fazer para mim. Eu faço com o maior carinho porque a resposta deles é muito boa. Eu nunca mais tive um gato que teve infecção urinária, um animal que você sente que está anêmico”.

Os gatos são tratados com carinho. Também gostam de frutas também, como melão, mas há alimentos que eles não podem comer. “O que você não pode dar para um gato é cebola, alho, tomate, pepino, leite. Os gatos não digerem leite por incrível que pareça, eles amam leite, mas eles não digerem. Se de vez em quando, tem algum filhotinho, eu dou leite sem lactose”.

Pensando nesse público animal, que está cada vez mais saudável, a zootecnista Bruna Fernandes resolveu montar uma cozinha industrial voltada para os pets, com petiscos naturais e alimentação balanceada. Mas ela conta que além das verduras, os animais precisam de suplementos para complementar os nutrientes.

A especialista pontua o que pode e o que não pode dar aos cães. “A uva contém toxina, o abacate tem excesso de percin que é tóxico para o animal, carambola, as sementes da maçã. Pode ser dada a maçã, porém sem as sementes. Pode ser dado a melancia, mas sem as sementes”.

Os alimentos naturais também são adequados para os pets que desenvolveram algum tipo de doença por causa da ração. É cuidando bem dos animais de estimação que eles vão viver bem melhor. “Se a gente pensa em cada vez mais diminuir os alimentos processados, por que não fazer o mesmo com eles? ‘Ah, mas antigamente meu animal comia ou hoje come’. Mas quantos anos seu animal vive?”, questionou Bruna.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.