Gerente de fazenda arranca testículos de cachorro, em Teófilo Otoni, MG

Gerente de fazenda arranca testículos de cachorro, em Teófilo Otoni, MG
Foto: Danyelle Rockstrock/Divulgação

O cachorro Barão, sem raça definida e aproximadamente 6 anos de idade, foi vítima de maus-tratos por parte do gerente de uma fazenda na zona rural de Teófilo Otoni, no Leste de Minas. Barão mora com a tutora, Danyelle Rockstrock Souza, na Fazenda Santa Maria, próximo à Fazenda Planície, onde ele foi mutilado de forma cruel. O homem arrancou os testículos do animal com um objeto cortante e o deixou em um terrão, para que ele sangrasse até a morte.

“Ele fez isso para matar meu cachorro, a sorte é que eu cheguei a tempo e o salvei”, disse Danyelle, abalada com a crueldade praticada contra Barão. O fato aconteceu no domingo (03/01) e, desde então, Danyelle tem passado momentos de aflição. Sem dinheiro, ela saiu da zona rural e foi para a área urbana de Teófilo Otoni levando o cachorro.

Em Teófilo Otoni, Barão foi internado em uma clínica e submetido a uma cirurgia. A despesa ficou muito alta, segundo Danyelle, e ela não tem condições de pagar a clínica. Quem deu apoio foram os ativistas do Colegiado de Proteção Animal, que conseguiram a liberação do animal da clínica. Mas as despesas ainda devem ser pagas.

No boletim de ocorrência, os policiais ouviram o acusado dos maus-tratos, que não negou ter praticado a mutilação. Mas justificou seu ato, alegando que Barão e um outro cachorro de Danyelle costumam ir à sua fazenda e atacar os bezerros, confinados em um local cercado com cabos de aço. Assustados, os bezerros correm, tropeçam nos cabos e quebram as patas, segundo ele contou à polícia.

O homem disse também que Barão e outro cachorro comem o leite em pó nas tigelas higienizadas dos bezerros, contaminando o alimento e levando doenças para o curral. O homem foi preso e levado à Delegacia da Polícia Civil de Teófilo Otoni, que instaurou um inquérito policial. O acusado de maus-tratos foi liberado. Disse que pagaria as despesas do veterinário que cuidou de Barão.
 
“Ele me deu o número do telefone dele, mas sumiu, não me atende mais”, disse Danyelle, que está mais aliviada com a melhora de Barão, que já está bebendo água, urinando normalmente.

Fonte: Estado de Minas Gerais

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.