GM Ambiental de Itajaí (SC) resgata animais em situação de maus-tratos no Espinheiros

GM Ambiental de Itajaí (SC) resgata animais em situação de maus-tratos no Espinheiros

Durante uma rotineira patrulha ambiental, a equipe da Guarda Municipal Ambiental (GAMF) de Itajaí se deparou com uma cena preocupante na rua Clarindo Sebastião da Cunha, no bairro Espinheiros. Uma gaiola pendurada na parede lateral de uma residência chamou a atenção da equipe, especialmente pela presença de um alçapão próximo, contendo uma ave em seu interior. O indício de caça e posse de animal silvestre levou a uma rápida intervenção por parte da guarnição.

O primeiro passo foi solicitar o auxílio da veterinária de plantão do Instituto Itajaí Sustentável (INIS) para avaliar a espécie da ave. A equipe de defesa animal do INIS compareceu ao local e identificou a ave como um Canário da Telha, espécie silvestre.

Apesar da identificação, a veterinária constatou que a ave não estava em condições de ser reintegrada à natureza devido ao estado de domesticação. No mesmo cenário, a equipe também encontrou dois cães da raça pitbull, um de pelagem branca e marrom, e outro de pelagem preta. O pitbull de pelagem branca e marrom já havia sido alvo de denúncias anteriores por ataques a pedestres na região.

O tutor dos cães não estava presente, mas já havia sido identificado. Ele havia sido notificado pelo INIS em duas ocasiões anteriores para providenciar a castração do animal e criar um ambiente seguro, conforme estabelece a Lei Estadual n° 14.204/2007. No entanto, o tutor adquiriu outro cão da mesma raça e continuou mantendo os animais em condições inadequadas.

Devido à persistente negligência do tutor em relação às normas de proteção animal e à situação de maus-tratos, ambos os Pitbulls foram apreendidos de acordo com a legislação vigente. Além disso, um filhote de cachorra foi resgatado com ferimento na pata traseira esquerda, recebendo tratamento veterinário.

Os cachorros estavam presos em correntes curtas, o que viola a Lei municipal nº 5.527/2010. Além disso, eles não tinham acesso adequado a água limpa, contando apenas com um recipiente insalubre. Dado o estado dos animais e as infrações cometidas, um boletim de ocorrência foi registrado junto à Polícia Civil para documentar a situação e as medidas tomadas pela equipe da Guarda Municipal Ambiental.

Por Pedro G. da Rosa

Fonte: Click Camboriú

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.