Golfinho achado em Florianópolis não tem causa da morte identificada em necropsia

Golfinho achado em Florianópolis não tem causa da morte identificada em necropsia
GMF e R3 Animal trabalharam no resgate do animal – Foto: Dariana Nesello/R3 Animal/ND

O golfinho encontrado morto na Beira Mar Norte, em Florianópolis, não teve a causa da morte identificada em virtude de estar em estado avançado de decomposição.

O animal, um boto-cinza fêmea de 53kg e cerca de 1,75 metros, foi encontrado encalhado e sem sinais vitais na manhã deste sábado (16) e resgatado pela equipe da R3 Animal, acionada através do PMP-BS (Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos).

“A análise gastrointestinal mostrou que o animal estava se alimentando normalmente”, explica a responsável técnica do PMP-BS, em Florianópolis, médica-veterinária Marzia Antonelli.

A decomposição avançada também impede uma análise para verificar se o animal rinha alguma doença.

O mamífero foi encaminhado para o Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos, onde foi realizada a necropsia.

Uma das voluntárias do projeto encontrou o animal, próximo do Trapiche das quadras esportivas. A GMF (Guarda Municipal de Florianópolis) também auxiliou no resgate.

O animal é da ordem dos cetáceos, aparecendo comumente no Litoral das Américas do Sul e Central, se alimentando de peixes, lulas, polvos e camarões.

A orientação é que, caso seja encontrado um animal como este, ou uma ave ou tartaruga na beira da praia, sejam acionadas as autoridades.

O telefone da R3 Animal, que tem competência para lidar com ocorrências do tipo, é é 0800 642 3341.

Fonte: ND Mais

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.