Golfinho é encontrado morto em Barra do Sul (SC) e marcas indicam ‘crueldade’ humana

Golfinho é encontrado morto em Barra do Sul (SC) e marcas indicam ‘crueldade’ humana
Animal foi encontrado em Balneário Barra do Sul – Foto: PMP-BS/Divulgação

Um golfinho foi encontrado morto na areia de uma das praias de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina. Além das marcas de interação com redes de pesca, perfurações causadas por ação humana foram encontradas no animal. O caso foi registrado em novembro de 2023, mas só veio à tona neste mês após divulgação do PMP-BS (Projeto de Monitoramento de Praias- Bacia de Santos).

O animal encontrado é uma fêmea juvenil da espécie nariz-de-garrafa com 1,8 metro de comprimento total e peso estimado em 80 quilogramas. O golfinho foi recolhido e levado para a base do PMP-BS, na Univille, para análise das equipes de veterinários e biólogos.

No local, foram realizados exames macroscópicos dos órgãos internos e a coleta de diversas amostras biológicas para análises complementares como histopatologia, idade e conteúdo estomacal.

Na análise da carcaça, que estava em início de decomposição, os profissionais conseguiram identificar as marcas do emalhe na mandíbula e ventre, o que indica contato com rede de pesca. Além disso, foi confirmada perfuração de aproximadamente 4 centímetros de largura na região ventral do tórax do golfinho, machucado compatível com agressão humana, indicou o PMP-BS.

“Registros como este nos causam revolta e profunda tristeza. Ainda mais sabendo que é uma fêmea imatura, uma grande perda para a população destes golfinhos e para o ambiente costeiro-marinho”, publicou a equipe do PMP-SC nas redes sociais.

O que é o projeto que fez resgate de golfinho

O PMP-BS é um projeto regional concebido e executado para atender demanda dos processos de licenciamento ambiental da Petrobras na Bacia de Santos, sendo conduzido pela CGMAC (Coordenação Geral de Licenciamento Ambiental de Empreendimentos Marinhos e Costeiros), da DILIC (Diretoria de Licenciamento Ambiental) e IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

A área de abrangência do projeto engloba os municípios litorâneos dos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e do Rio de Janeiro e abarca uma extensa área de mais de 1.500 km de costa. Entre os municípios de Araquari, Balneário Barra do Sul, São Francisco do Sul e Itapoá quem coordena o projeto é a Univille.

Durante o monitoramento, todos os animais vivos encontrados pelas equipes de campo são avaliados para verificar se precisam de atendimento veterinário. Se positivo, são então encaminhados a uma das 14 instalações da Rede de Atendimento Veterinário.

Após o tratamento, os animais são novamente avaliados para atestar se já estão aptos a serem soltos, o que ocorre após a marcação de cada um dos indivíduos. Isso permite que seja feito um acompanhamento, caso o animal reapareça em outra região.

Nos animais mortos é realizada necropsia para identificar a causa da morte e avaliar se houve interação com atividades humanas tais como pesca, embarcações e óleo.

Fonte: ND+

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.