Golfinho é encontrado morto na Praia do Campeche, em Florianópolis

Golfinho é encontrado morto na Praia do Campeche, em Florianópolis

Um golfinho foi encontrado morto na Praia do Campeche, Sul da Ilha de Santa Catarina, na tarde deste domingo (24). O mamífero era uma fêmea filhote da espécie falsa-orca (Pseudorca crassidens), de 1,75 m e 44 quilos.

O animal foi resgatado pela equipe da R3 Animal através do PMP-BS (Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos). Ele foi levado para o Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos, localizado no Parque Estadual do Rio Vermelho, onde passou por necropsia. Porém, devido ao estado avançado de decomposição não foi possível determinar a causa da morte.

 Segundo a R3 Animal, raramente há registros de encalhe dessa espécie na região e é a primeira vez que a equipe resgata um cetáceo desses em Florianópolis, desde o início do Projeto em 2015.

Sobre a espécie

A falsa-orca ocorre em águas quentes de zonas tropicais e temperadas de todos os oceanos. Elas podem atingir entre 4,5 a 6 metros de comprimento e pesar entre 1 mil e 2,3 mil quilos. Alimentam-se de lulas e peixes grandes, podendo comer inclusive outros mamíferos marinhos.

Caso encontre um mamífero, ave ou tartaruga marinha debilitada ou morta na praia, ligue 0800 642 3341.

O PMP-BS atende uma condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo na Bacia de Santos sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos. O trabalho inclui monitoramento das praias e o atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

O PMP-BS é realizado desde Laguna (SC) até Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos. Em Florianópolis, Trecho 3, o projeto é executado pela R3 Animal.

Fonte: ND Mais 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.