Golfinhos são usados como ‘radar de explosivos’ pela Marinha dos EUA

Golfinhos são usados como ‘radar de explosivos’ pela Marinha dos EUA

Uma foto de golfinhos a bordo de um avião cargueiro intrigou usuários do Facebook (e outras redes sociais em que a imagem foi compartilhada). Na publicação é possível ver pelo menos meia dúzia dos animais em redes brancas posicionadas dentro de tanques de água no interior da aeronave.

A presença de pessoas ligadas a um Esquadrão da Força Aérea americana, no entanto, deu pistas sobre a missão e o destino das criaturas.

De acordo com o site Task and Purpose, uma fonte do esquadrão confirmou que os golfinhos fazem parte de um projeto militar da marinha dos EUA.

Desde a década de 60, o Programa de Mamíferos Marinhos recruta esses animais para detectar objetos potencialmente perigosos (e explosivos) no fundo do mar que não são identificados pelos sonares, em especial em águas costeiras. Em 2015, o programa tinha o total de 85 golfinhos e 50 leões marinhos compondo o projeto.

Ainda segundo a publicação, na ocasião das fotos, os animais foram transportados para a estação naval na Flórida para treinamentos e estiveram a bordo de um Boeing C-17 Globemaster III. A Marinha afirma que os golfinhos são bem tratados e todos os vôos são supervisionados por veterinários.

Por Victor Pinheiro, editação de Cesar Schaeffer

Fonte: Futurism via Olhar Digital


Nota do Olhar Animal: Na visão especista e bem-estarista dos militares em questão, dar cuidados aos golfinhos durante suas vidas, para finalmente sujeitá-los a serem explodidos, significa “tratar bem” estes animais. Violar o interesse mais básico deles, que é o interesse em viver, não entra nessa contabilidade hipócrita e macabra.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.