Grécia quer tornar esterilização de animais obrigatória

Grécia quer tornar esterilização de animais obrigatória
bollection / Flcikr

A Grécia enfrenta um sério problema relacionado com o abandono animal, que se agravou durante a pandemia de covid-19. A nova legislação proposta, que visa tornar a esterilização de animais obrigatória, não reúne consenso.

A Grécia está a discutir um projeto de lei que prevê que todos os animais de companhia sejam esterilizados. Segundo o The Guardian, a proposta encontra-se sob consulta pública e será submetida a votação em junho, mas já viu oposição coordenada dos veterinários, que entraram em greve na semana passada.

O diário britânico revela que a Grécia enfrenta um grave problema com o abandono de animais. Em Atenas, estima-se que existam aproximadamente dois milhões de gatos e cães que vagueiam pelas ruas.

A esterilização obrigatória iria reduzir o número de animais abandonados, mas o projeto de lei tem sido criticado por criadores e por médicos veterinários.

Manos Vorrisis, dono de uma clínica veterinária na ilha Syros, disse ao diário que há estudos “nos Estados Unidos e na Austrália que provam que a esterilização obrigatória não resulta“.

Além disso, há quem defenda que esta medida possa levar ao fim de raças que existem na Grécia desde a antiguidade, como o Sabujo de Creta. “A lei também reduz a capacidade dos proprietários de ter ninhadas”, afirmou o criador Theodosis Papandreou, caracterizando a proposta como um “erro fatal”.

“Devemos fazer de tudo para preservar estas raças raras”, frisou.

Kyriakos Mitsotakis, primeiro-ministro grego, adotou recentemente um animal de um canil público, chamado Peanut. Desde que chegou ao cargo, em 2019, o governante tem tornado os direitos animais uma das suas prioridades e é a favor da mais recente proposta.

O projeto de lei foi compilado na esperança de convencer os gregos não apenas sobre a necessidade de esterilizar cães e gatos, mas também a tratá-los com humanidade.

“Está na hora de a Grécia avançar com passos corajosos para a proteção dos nossos amigos”, salientou o chefe de Estado.

Por Liliana Malainho 

Fonte: Zap.aeiou / mantida a grafia lusitana original 


Nota do Olhar Animal: Claro que quem explora os animais tratando-os como mera mercadoria são os que se opõe à medida. A argumentação contra a medida foca exclusivamente no interesse daqueles que exploram os bichos, não nos interesses dos animais. É bom lembrar que os cães e gatos não reconhecem as “raças”, não às distinguem na relação entre os membros da espécie. Parabéns à Grécia se a norma proposta for aprovada!

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.