Grupo de amigos salva 50 animais em Portugal

Grupo de amigos salva 50 animais em Portugal

Não mostram a cara, não querem ser identificados. Em comum, têm um laço de amizade com “mais de 15 anos e o amor pelos animais”. Desde o dia 20 de setembro de 2016, altura em que criaram o grupo IRA – Intervenção e Resgate Animal -, já fizeram “mais de 50 resgates de animais em condições de maus-tratos ou até risco de vida”.

“Recebemos as denúncias, avaliamos, perguntamos se já foram comunicadas às autoridades competentes e só a partir daí, em caso positivo, é que reunimos, planeamos e concretizamos o resgate”, explicou ao CM o fundador do IRA.

Na segunda-feira à noite, o Correio da Manhã acompanhou, em exclusivo, o resgate de Simba – um cão de porte médio, com cerca de três anos, que estava há dias na rua, ao frio e à chuva, num bairro de Lisboa.

“O pelo dele parece uma carapaça, está podre”, comentou um dos membros do IRA, descrevendo: “o cheiro do animal é nauseabundo”. Sem perder tempo, o fundador abordou os proprietários do cão. Os donos eram dois jovens, de 15 e 18 anos, cujos pais “foram detidos há dias”, contaram.

“A ideia inicial era resgatar o cão, levá-lo ao veterinário, reabilitá-lo e dá-lo para adoção”, explicou um dos elementos do grupo, sublinhando que “é este o protocolo”. Os donos não consentiram. “O Simba é uma companhia”, disseram. O IRA decidiu levar o cão para tratamentos e vai fazer o “acompanhamento do animal e dos dois jovens, que se encontram em situação carenciada”.

Por Francisca Genésio

Fonte: Correio da Manhã / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.