Grupo de direitos dos animais vai processar empresário por forçar empregados a matar galinhas na Coreia do Sul

Grupo de direitos dos animais vai processar empresário por forçar empregados a matar galinhas na Coreia do Sul

Um grupo de defesa dos direitos dos animais ameaçou processar um famoso empreendedor, conhecido pelo desenvolvimento de um robô gigante que se move, por forçar seus funcionários a matarem galinhas com uma espada japonesa de samurai ou com arco e flecha em um workshop da empresa.

As comunidades on-line da Coreia do Sul ficaram chocadas no final de outubro quando a Newstapa, um portal de notícias independente, divulgou vídeos que mostram Yang Jin-ho, presidente da operadora de compartilhamento de arquivos WeDisk, que controla a Korea Future Technology (K-Technology), ao bater com brutalidade em seu ex-funcionário.

Um clipe mostrava Yang a insultar funcionários que hesitavam em matar galinhas com uma espada samurai japonesa e um arco e flecha. “Você está brincando? Seu idiota!” gritava ele para um funcionário que não conseguia puxar a corda de um arco. Ele também riu e gritou: “Acerte o pescoço!”, quando outro funcionário abateu uma galinha viva jogada no ar.

Park So-youn, presidente da organização Coexistence of Animal Rights on Earth (CARE), disse em uma declaração, no dia seguinte, que processaria Yang por violar uma lei de proteção animal, acusando-o de matar galinhas para “entretenimento”.

Yang recebeu atenção mundial em dezembro de 2016, quando o vídeo de um robô bípede e tripulado de quatro metros de altura, desenvolvido pela K-Technology, viralizou. Ele enfrenta uma investigação por alegações de que sua empresa de compartilhamento de arquivos ignorou a divulgação de pornografia por vingança.

Por Park Sae-jin / Tradução de Alda Lima

Fonte: Aju Business Daily

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.