Grupo tenta arrecadar R$ 4 mil para salvar cão atropelado em Sapucaia do Sul, RS

Grupo tenta arrecadar R$ 4 mil para salvar cão atropelado em Sapucaia do Sul, RS
Pequeno Ítalo tem dificuldades para se locomover devido ao acidente em Sapucaia do Sul | Foto: Simca / Divulgação / CP

O atropelamento de mais um cão, com omissão de socorro, em Sapucaia do Sul, há pouco mais de uma semana, tem mobilizado jovens que atuam contra o abandono e maus-tratos contra os animais nas cidades da Região Metropolitana. Internado desde o último sábado, o animal teve complicações depois que uma ecografia apontou ossos (restos de galinha e gado) no estômago do pequeno Ítalo (assim batizado) que, além de dificuldades para se locomover – devido ao acidente – ele não consegue defecar e nem mesmo urinar, o que retarda sua recuperação.  

De acordo com uma das idealizadoras do grupo Simpatizantes da Causa Animal (Simca), Grasiela Centeno, durante o final de semana, o cãozinho foi submetido a um procedimento cirúrgico por conta das complicações estomacais, juntamente com tratamento para carrapatos e fraturas nas patas e bacia devido ao impacto com três veículos.

“Gastamos um pouco mais de R$ 4,5 mil, mas conseguimos salvar mais uma vida. Ele teve que fazer transfusão de sangue. Agora estamos correndo para quitar a dívida. Ítalo foi atropelado na Avenida Justino Camboim por três carros e quando a moto passaria por cima, o piloto se atirou no asfalto para não bater no animal ferido. Graças, conseguimos socorrê-lo após a comunidade nos avisar.” 

Para pagar o tratamento do pequeno Ítalo, que Grasi acredita não ser tão velho (pois não sabe estimar a idade do animal), o Simca está vendendo uma rifa no valor 2 reais – cujo primeiro prêmio é um forno elétrico a ser sorteado dia 15 de setembro – , além de arrecadar latinhas para serem revertidas em valores para pagar a clínica parceira de procedimentos. Interessados em ajudar o grupo podem entrar em contato pelo número (51) 99201-7885, com Grasiela, ou através do e-mail: [email protected]

Por Fernanda Bassôa

Fonte: Correio do Povo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.