Grupos de resgate gastam mais de 1 milhão de dólares para ajudar animais abandonados e abusados

Grupos de resgate gastam mais de 1 milhão de dólares para ajudar animais abandonados e abusados

As investigações do 11Alive descobriram que os custos associados com as fábricas de filhotes ultrapassam, e muito, os esforços legislativos para reembolsar aqueles que cuidam dos animais resgatados na Geórgia, EUA.

Cães emaciados vivendo em condições deploráveis, cães com dentes podres, vermes do coração, e membros quebrados são algumas das histórias desoladoras que o 11Alive compartilhou com nos dois últimos anos.

Nosso time investigativo, The Reveal, vem mostrando a cara das fábricas de filhotes na Geórgia, e investigando os problemas sistemáticos que os grupos de resgate e agentes da lei locais têm que lidar com esses casos.

Na mais recente parte de nossa história, Caged in Cruelty (Engaiolados na Crueldade, tradução livre), nós verificamos o aspecto financeiro com o qual os grupos de resgate devem lutar diariamente, e um curativo temporário que salva dezenas de cães a cada mês ao enviá-los para outros estados.

A COVID-19 destruiu os esforços legislativos na última sessão para responsabilizar financeiramente os criadores pela crueldade animal. Este ano, há um novo projeto de lei para criar um fundo que, pelo menos, os governos locais poderiam usar para ajudar nos custos gerados para cuidar dos animais apreendidos durante uma investigação.

O fundo seria alimentado através de um aumento nas taxas de licenças para criadores e abrigos. Mas muito do custo agora está sendo pago pelas organizações sem fins lucrativos e pelos grupos comunitários que se importam demais para não fazer nada.

The Reveal queria saber o quanto as investigações de abuso e negligência associadas com as fábricas de filhotes estavam custando para a comunidade. Quando nós percebemos que ninguém estava controlando esse tipo de informação, começamos a trabalhar para coletar esses dados.

Levamos semanas para ligar e mandar e-mails para mais de 350 organizações registradas para perguntar sobre as contas médicas e os custos para cuidar dos cães resgatados de criadores licenciados e não licenciados. Eles ficaram sabendo de cães abandonados, filhotes cegos e surdos, dentes podres, vermes do coração e severo trauma emocional.

Um grupo respondeu nossa pesquisa dizendo, “acabamos de ser contatados esta semana por um criador que queria que a gente resgatasse ‘todos os seus cães’ porque ela está doente e não consegue mais cuidar deles. A tradução disto é que eles são muitos velhos para procriarem e ela não quer se preocupar mais com eles”.

Entre os cães resgatados estavam os Pastores Alemães retirados da Angela Powell. The Reveal denunciou essa criadora pela primeira vez em 2019 depois de cães mortos terem sido encontrados em sua propriedade.

“Nós imediatamente reconhecemos isto como um caso de crime de crueldade animal”, John Miles, xerife do Condado Candler, disse depois da prisão de Powell.

Não está claro quanto custa para os cidadãos pagadores de impostos para que esse caso de crueldade seja investigado e processado, ela ainda tem que ser julgada, mas The Reveal já encontrou cerca de $350.000 gastos pelos grupos de resgato para providenciar abrigo e cuidado médico para esses cães.

Somente em 2019, os grupos voluntários disseram que gastaram mais de $1 milhão de dólares em cães abandonados ou apreendidos de criadores licenciados e não licenciados.

“Eles são doces, só estão procurando por amor, mas eles vêm com problemas de saúde. Porque ninguém estava cuidando deles”, Kathi Higgins, que ajuda a gerenciar a organização Road Trip Home, disse.

A organização transporta cães e gatos adotáveis que estão sob risco de serem eutanasiados para o nordeste dos EUA, onde famílias esperam ansiosas para adotá-los.

“Não há uma superpopulação de cães na região de New England, no Norte, porque lá todo mundo castra seus animais”, disse Rhonda Sykes, co-fundadora do Road Trip Home.

O veterinário Toby Carmichael disse que a temperatura extrema no inverno também mata os animais de rua, reduzindo o número de cães e gatos que procriam.

Mas ele concordou que a Geórgia poderia melhorar muito na redução do número de animais eutanasiados ou precisando de transporte para outro estado, se os tutores simplesmente castrassem seus animais.

“Eu penso que nosso maior problema é que não educamos ou não temos os recursos para alguns dos nossos clientes possam castrar seus animais e então a população aumenta”, Carmichael disse.

O medo da COVID parou temporariamente os transportes para fora do estado por várias semanas. Usualmente o grupo Road Trip Home enchia uma van, às vezes duas, duas vezes por mês.

Correndo risco de serem eutanasiados, os animais abandonados da Geórgia são transportados para outros estados

O que preocupa é que a COVID também parou as arrecadações que eram críticas para pagar pelos transportes. Mesmo assim, voluntários e doadores encontraram um jeito para salvar 1.584 animais no ano passado.

“O custo por van é cerca de $1.500 somente para o combustível e para cobrir os gastos do motorista. Mas aí você descobre que cada animal que estamos levando, tem algo entre $100 e $150 que gastamos”, Sykes acrescentou.

Isso já com o custo reduzido e o cuidado fornecido pelo Hospital Animal Lake City em Acworth. Antes do transporte, cada animal é checado por um veterinário e liberado.

Estes resgates também têm um custo tremendo que não esperávamos quando começamos nossa pesquisa. Road Trip Home e outros grupos ajudam todos os animais, não somente os apreendidos pelos criadores, licenciados ou não, mas todos eles falam que isso é parte do problema.

Durante a pesquisa, nós falamos com um grupo que estava transportando 178 Lulus da Pomerânia aprendidos de um criador de fundo de quintal no sul da Geórgia.

No total, nós descobrimos mais de 16.000 cães levados da Geórgia para 19 estados por dezenas de grupos. São muitas viagens. E mesmo assim, não é o suficiente para salvar os milhares de animais eutanasiados a cada ano.

Road Trip Home disse que sua necessidade atual é para lares temporários de curta duração e fundos para ajudar a manter sua missão. Para ajudar, acesse RoadTripHome.org.

Por Rebecca Lindstrom, Lindsey Basye / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: 11 Alive

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.