Guarda de cachorros e gatos torna-se desafio para juízes na Itália

Na Itália, a cada ano, pelos menos 4 mil casais que estão se divorciando brigam na Justiça para saber quem vai ficar com o animal de estimação da família. O número foi revelado pela Associação dos Advogados de Família Italianos. Como não existe nenhuma lei no país sobre o assunto, cada juiz decide de acordo com a sua vontade, diz a entidade.

O presidente da associação, Gian Ettore Gassani, acredita que as disputas pela guarda de cachorros, gatos e até tartarugas acontece porque os italianos têm preferido ter um animal de estimação do que um filho. A Itália tem uma taxa de natalidade bastante baixa, chegando a ser menor do que a taxa de mortalidade.

Todo o instinto materno e paterno é dedicado ao bicho, explica Gassani. O resultado disso é que, quando o casal decide se separar, cabe aos juízes decidir não só a guarda do animal, mas também fixar pensão para cobrir os gastos com o bichinho e estabelecer direito de visita. 

Nota do Olhar Animal: A guarda compartilhada parece muito boa para as pessoas. Mas será que a mudança frequente de ambiente é boa também para o animal. Parece que a preocupação tem sido mais com satifazer anseios dos tutores que necessidades dos bichos. 

Fonte: Conjur

MAIS NOTICIAS

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.