Todas as denúncias foram feitas pelo número de contato 153 pela população. A GM atua com parceria a Departamento de Zoonoses e após os guardas constatarem a denúncia o órgão é acionado. Foto: Divulgação

Guarda Municipal atende 350 denúncias de maus-tratos a animais em Ponta Grossa, PR

A Guarda Municipal de Ponta Grossa, órgão vinculado à Secretaria de Cidadania e Segurança Pública (SMCSP), atendeu 350 denúncias de maus-tratos aos animais até o mês de outubro na cidade de Ponta Grossa – deste total 20 por cento das denúncias foi contatado que houve os maus-tratos e foram encaminhados a Polícia Civil. Todas as denúncias foram feitas pelo número de contato 153 pela população. A GM atua com parceria a Departamento de Zoonoses e após os guardas constatarem a denúncia o órgão é acionado.

A cidade já foi palco de brutalidades contra animais. O último caso que ganhou grande repercussão, foi o de um senhor é acusado de decapitar um cão na vila Real. A morte do animalzinho comoveu a cidade por conta dos requintes de crueldade utilizados no crime. Toda a ação foi gravada por uma testemunha e publicada nas redes sociais: no vídeo mostra o homem desferindo golpes de foice no animal, que morreu decapitado.

Se você ainda tem dúvidas do pode se considerar maus-tratos o portal aRede disponibiliza com alguns exemplos.

– Abandonar

– Ferir, mutilar ou envenenar

– Manter preso permanentemente em correntes

– Manter em locais pequenos e sem higiene

– Não abrigar do sol, da chuva e do frio

– Deixar sem ventilação ou luz solar

– Não dar comida e água diariamente

– Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido

– Obrigar a trabalho excessivo ou superior à sua força*

– Utilizar animais em shows que possam lhe causar pânico ou estresse

– Capturar animais silvestres

– Promover violência como rinhas, farra-do-boi, dentre outros

Outros exemplos estão descritos no Decreto Lei 24.645/1934, de Getúlio Vargas.

A GM recebe denuncia pelos telefones 153.

Por Cristiano Barbosa

Fonte: A Rede


Nota do Olhar Animal: * Obrigar um animal a qualquer trabalho é no mínimo um abuso, crime previsto no artigo 32 da lei 9.605/98, mas para o qual as autoridades fazem vistas grossas em nome dos “usos e costumes”.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.