Haddad vai recorrer de liminar que liberou venda de foie gras em SP

Haddad vai recorrer de liminar que liberou venda de foie gras em SP

TJ suspendeu nesta terça lei que proíbe iguaria francesa. Foie gras é fígado gordo de ganso ou pato alimentados de maneira forçada.

Por Tatiana Santiago

O prefeito Fernando Haddad (PT) disse na tarde desta quarta-feira (15) que irá recorrer da decisão judicial que libera a comercialização do foie gras na cidade de São Paulo. O Tribunal de Justiça suspendeu na terça-feira (14), em caráter liminar, a lei que proíbe a produção e venda da iguaria francesa. O pedido foi protocolado pela Associação Nacional dos Restaurantes (ANR), que defende que a medida é inconstitucional. Cabe recurso.

“[Vamos recorrer] assim que nós formos notificados para conhecer o teor da decisão. Mas, em geral, a administração pública defende as leis sancionadas. Isso é quase que um rito protocolar, defender as leis aprovadas e sancionadas”, afirmou o prefeito.

Haddad, que já declarou ser amante do foie gras, argumentou a razão da sanção da lei. “Eu tive tempo de estudar a matéria e julguei que a produção envolvia maus-tratos e em muitos países modernos isso é incompatível com a maneira sustentável de viver”, declarou.

O prefeito citou a Califórnia nos Estados Unidos, Austrália e países europeus como locais que já adotaram a restrição. “Não é uma novidade no Brasil. Vários países do mundo rejeitam a produção desnecessária de alimentos que envolvam maus tratos. Me sensibilizei com a causa dos ativistas”.

O foie gras é o fígado gordo de ganso ou pato, resultado de um método milenar conhecido como gavage, em que os animais são forçados a se alimentar. Ativistas consideram o método cruel.

A lei que proíbe a produção e comercialização da iguaria foi publicada no dia 26 de junho no Diário Oficial da cidade e tinha prazo de 45 dias para entrar em vigor. Nesse período, os restaurantes e empórios foram autorizados a vender o produto.

Foto: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.