Haviam muitos cachorros abandonados na Costa Rica. Então um casal resolveu fazer algo

Haviam muitos cachorros abandonados na Costa Rica. Então um casal resolveu fazer algo
Fotos: Arquivo pessoal

Você já deve ter visto muitas histórias de cachorros. Pessoas que doam ou adotam esses animaizinhos. Mas será que você já viu alguém adotar centenas de cães?

Este é o caso de uma mulher na Costa Rica chamada Lya Battle. Tudo começou quando ela foi comprar comida para os seus cães e viu um cachorro chamado Diego, que chamou a atenção dela. O schnauzer já tinha 13 anos, era doente e por isso seria sacrificado. Mas ela não se acovardou: “Não importa se ele vive uma semana. Se ele vai morrer, deixe-o morrer tendo uma casa.”

Apesar de Lya ter outros animais, Diego foi o primeiro que possuía necessidades especiais, além de outras questões como sua velhice, por exemplo, e estava perto da morte. Com todo o carinho dado por ela, o cachorro conseguiu viver até os 19 anos.

Mas ele não seria o único a ser salvo por ela. Muitos outros cães precisavam ser ajudados na Costa Rica. Segundo Battle, existem muitas pessoas que não sabem cuidar dos cachorros e os jogam nas ruas, dificultando o trabalho de organizações que cuidam dos bichinhos.

Vendo o alto número de animais de rua, a mulher decidiu adotá-los. Junto com seu marido Alvaro Saumet, tentaram salvar pessoalmente vários cães, dando preferência pelos mais velhos e doentes.

Mas obviamente para cuidar de todos esses cães, o casal precisaria de uma estrutura. Com muito trabalho, eles conseguiram construir casas para os cachorros e plataformas elevadas nos quintais para conseguir acomodar todos os bichinhos. E não demorou para o número deles se multiplicar e chegar aos 100.

Apesar do sucesso, Battle e Saumet perceberam que depois de quatro anos vivendo no sótão, deveriam se mudar para um lugar maior. A grande dedicação do casal teve resultado: a mulher herdou uma fazenda de 146 hectares que pertencia ao seu avô.

E o território foi muito bem usado, em 2009, eles construíram um santuário chamado “Território dos vira-latas” que abrigaria muitos cães que necessitam de ajuda.

Fotos: Arquivo pessoal

Com esse incrível senso de ajuda, o casal possui cerca de 650 animais residindo na fazenda.

Em entrevista ao The Dodo, Battle comentou “Eles vêm e vão. Estamos sempre recebendo mais do que damos, mas pelo menos a população está ‘circulando’. Temos também uma imensa e enorme população de idosos”.

E o mais incrível é que o casal conhece todos os animais pelo nome. Eles dizem que sempre que recebem um novo cachorro, procuram dar um nome engraçado e não glamouroso. Por exemplo, se um cão branco chega ao santuário, seu nome pode ser “Branquelo”.

O melhor de tudo é que a casa desses cães é cercada por uma floresta natural, o que dá ainda mais um aspecto de casa para os bichinhos. Para a segurança deles, são supervisionados 24 horas por dia por profissionais, com o intuito deles não fugirem do recinto.

Dando uma verdadeira lição, Battle ainda revela:

“Não importa o quão difícil tenha sido, sempre valeu a pena”. Se algo é terrivelmente difícil e leva tudo o que você tem – tanto materialmente e emocionalmente – mas você ainda assim consegue fazê-lo, é porque você encontrou o que realmente é importante para você. Se fosse fácil, todo mundo faria isso e não seria tão gratificante “.

É muito legal ver essa história. Todos devemos cuidar e dar amor aos nosso bichinhos. Eles vão retribuir e lembrar de você para sempre.

Por Henrique Marsura 

Fonte: Best of Web 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.