Homem abandona cachorros em rua de Caeté (MG) e câmera de segurança registra momento do crime

Homem abandona cachorros em rua de Caeté (MG) e câmera de segurança registra momento do crime
Reprodução / Redes Sociais

Um homem ainda não identificado abandonou dois cachorros em uma rua de Caeté, Região Metropolitana de Belo Horizonte, nesta quinta-feira (5). Uma campanha nas redes sociais, realizada por uma ONG que defende animais, pede ajuda para identificar o sujeito. O abandono aconteceu no fim da tarde de quinta (5), na porta de uma fábrica de doces, próximo a um hotel, no bairro José Brandão.

No vídeo que registra o flagrante do crime, o homem – que suspeita-se de que seja o tutor dos bichos – chega ao local de carro com os animais. Ele desce do veículo, abre uma das portas traseiras e os cães pulam para a rua. O homem chega a carregar um dos cachorros no colo, mas solta-o em seguida.

Depois, ele entra no carro e sai do local. Os cachorros abandonados chegam a correr atrás do veículo, mas o sujeito segue o trajeto. Veja o vídeo no final da matéria.

A Sociedade Galdina Protetora dos Animais e da Natureza de Caeté (SGPAN) recebeu as imagens do abandono e vai registrar um boletim de ocorrência, além de fazer uma denúncia no Ministério Público.

Segundo a presidente da SGPAN, Patrícia Dutra, o carro parece ser um Gol Volkswagen, de cor clara, com rodas características. Até o momento, nenhuma imagem conseguiu identificar a placa do veículo.

Segundo a ONG, abandono de animais é crime de maus tratos pela lei municipal 2.943/2016, lei estadual 22.231 e lei 14.064/2020, a Lei Sansão. A pena pode ser de 2 a 5 anos de reclusão, multa e perda da guarda do animal. É possível denunciar e registrar ocorrência contra quem pratica maus tratos a animais de estimação em qualquer delegacia.

Após quase 24 horas do crime, as protetoras de animais ainda não localizaram os cachorros. Não é possível afirmar se eles ainda estão na região. Até o momento nenhuma testemunha foi encontrada.

Por Raquel Gontijo

Fonte: Hoje em Dia

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.