Homem condenado à prisão e proibido de ter animais de estimação por esfaquear cão que ele disse ser ‘muito velho’

Homem condenado à prisão e proibido de ter animais de estimação por esfaquear cão que ele disse ser ‘muito velho’

A advogada de um homem do condado de Erie, Nova York, acusado de atacar o cachorro de uma mulher com uma faca em outubro de 2020, disse no tribunal no final de setembro que seu cliente estava “fortemente embriagado” quando o ataque ocorreu.

Os ferimentos que o cão sofreu poderiam ter sido muito mais graves se o cão não estivesse acima do peso, de acordo com os promotores e o veterinário que o tratou.

O juiz do condado de Erie, John J. Mead, observou a seriedade do ataque ao condenar Jeremy M. Pursell, de 48 anos, a uma sentença de seis a 23 meses de prisão, seguidos de dois anos de liberdade condicional, por sua confissão de culpa, em maio, de crime de crueldade agravada contra animais.

O juiz também ordenou que Pursell se submetesse a avaliações de saúde mental, drogas e álcool, e realizasse 100 horas de serviço comunitário. E Mead acrescentou uma condição que impede Pursell de possuir qualquer animal de estimação.

A sentença está de acordo com o padrão para este tipo de crime. A defensora pública assistente Rachael Glasoe, que representou Pursell, pediu ao juiz Mead que considerasse uma sentença que permitisse que Pursell ficasse fora da prisão.

Cachorro “ficando muito velho”

Funcionários da Erie Humane Society acusaram Pursell de um ataque em 7 de outubro contra Blue, um labrador mestiço preto de 8 anos, de propriedade de uma mulher com quem Pursell tinha um relacionamento.

Os investigadores acusaram Pursell de esfaquear o cachorro duas vezes no pescoço e cortá-lo com uma faca em uma residência na Woodlawn Avenue.

A tutora do cachorro disse aos investigadores que ouviu Blue choramingando do lado de fora e que encontrou o cachorro ensanguentado. Ela disse que perguntou a Pursell o que ele fez, e ele indagou:

“Ele ainda não está morto?”, os investigadores escreveram no depoimento de causa provável arquivado com a queixa criminal de Pursell.

A mulher também disse que algum tempo antes do ataque, Pursell afirmou que era hora de conseguir um novo cachorrinho e que ele precisava “estourar os miolos”, referindo-se ao cachorro, porque Blue estava “ficando muito velho”, de acordo com informações na declaração.

A mulher disse que foi embora com Blue e outro cachorro depois que Pursell afirmou que iria “terminar o trabalho”, de acordo com o depoimento. Mais tarde, Blue foi tratado no Animal Ark Pet Hospital em Millcreek Township.

O veterinário que tratou de Blue disse no tribunal naquela manhã que o cão tinha duas facadas na nuca e uma laceração na lateral do pescoço. Segundo ele, as feridas poderiam ter sido piores se não fosse por Blue estar “acima do peso”.

“O cão se recuperou das feridas”, disse o veterinário.

Um ataque “horrível”

A promotora distrital assistente, Hillary Hoffman, disse que Pursell esfaqueou Blue “espontanea e intencionalmente sem motivo”, e o fato de que Pursell descontou sua raiva no cachorro “é absolutamente horrível”.

Ela disse que Blue foi deixado do lado de fora após o ataque, coberta de sangue, “basicamente esperando para morrer”.

Por Tim Hahn / Tradução de Alexandre Magno L Cruz

Fonte: GoErie

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.