Homem é condenado a um ano de prisão por filmar a si mesmo torturando porquinho-da-índia

Homem é condenado a um ano de prisão por filmar a si mesmo torturando porquinho-da-índia

Um homem de Utah (EUA) foi preso por um ano por se filmar torturando e esmagando porquinhos-da-índia e postando os vídeos no YouTube.

Samuel Webster, 20, de Farmington, Utah, se confessou culpado de tortura de animais por meio de esmagamento e publicação de clipes de suas ações online em outubro de 2021.

De acordo com documentos judiciais, Webster comprou quatro porquinhos-da-índia machos em uma loja de artigos para animais de estimação em Farmington, Utah, antes de submeter propositalmente os animais a ferimentos graves.

Ele postou um total de 23 vídeos no YouTube, incluindo alguns supostamente intitulados “Tortura de porquinhos-da-índia” e “Tortura é divertida”, e comentou em seus próprios vídeos sobre querer matar e torturar porquinhos-da-índia.

Em um caso, ele bateu em uma cobaia e depois abusou sexualmente dela, depois postou a filmagem no YouTube e intitulou o vídeo “Porn”.

Webster admitiu ainda que as cobaias foram obtidas no comércio interestadual com o propósito de criar e distribuir ao redor do mundo vídeos do YouTube que ele fez de si mesmo torturando e matando o animal.

Ele se declarou culpado de distribuição de vídeo de esmagamento de animais e esmagamento de animais em agosto.

Esmagamento, neste caso, é definido como um animal sendo “intencionalmente esmagado, queimado, afogado, sufocado, empalado ou de outra forma submetido a lesões corporais graves, e é obsceno”.

Na terça-feira, Webster foi condenado a 12 meses e um dia de prisão, com três anos de liberdade supervisionada. Ele também foi condenado a pagar uma multa de US$ 5.500.

“A tortura de animais cometida pelo Sr. Webster não foi apenas ilegal, mas também desumana e cruel”, disse a procuradora dos EUA, Trina A Higgins, do Distrito de Utah.

“Tortura de qualquer tipo a um animal é inaceitável. Nosso escritório trabalhará com as autoridades para investigar e processar todos os crimes desta natureza.”

“Os animais merecem ser tratados com humanidade, e é por isso que a Lei de Prevenção da Crueldade e Tortura Animal (PACT) foi aprovada em 2019”, disse o agente especial responsável, Shohini Sinha, do FBI de Salt Lake City.

“As evidências mostram que a crueldade intencional contra os animais também pode ser um precursor de outros crimes violentos.

“Estamos gratos pela ajuda do público ao denunciar este abuso horrível para que as autoridades possam pôr fim a isso e fazer com que o Sr. Webster enfrente as consequências.”

O FBI Salt Lake Field Office investigou o caso com a ajuda valiosa do Departamento de Polícia de Woods Cross. O Gabinete do Procurador dos Estados Unidos do Distrito de Utah processou o caso.

Por Elisângela Becker

Fonte: G7

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.