Homem é condenado em processo por abuso animal e negligência

Homem é condenado em processo por abuso animal e negligência

Por Marty Kasper / Tradução de Marli Vaz de Lima

EUA troyman mug1Em 19 de junho de 2014, membros do Departamento de Polícia de Albany (EUA) atenderam uma residência na rua South Pine na cidade de Albany, NY e encontraram condições impróprias e insalubres, consideradas inseguras para a habitação humana e de animais domésticos. A polícia encontrou quatro cães e nove gatos na residência e os transferiu para a Hudson Mohawk Humane Society para cuidados. Um dos animais estava tão desnutrido que teve que ser eutanasiado.

Depois de uma investigação, a polícia identificou Deric Peterson, de Troy, cidade do Michigan, como uma das pessoas responsáveis por cuidar dos animais.

Ele foi condenado a 60 dias na Instituição Correcional do Condado de Albany, e a três anos de liberdade condicional. A condição primária do termo de liberdade condicional é que ele não possa mais possuir ou residir com animais. Ele também perdeu os direitos sobre todos os animais que foram confiscados e será condenado a pagar US$ 2.000 em restituição à Mohawk Hudson Humane Society pelo alojamento e tratamento dos animais sobreviventes.

Mas para algumas pessoas, a punição não corresponde ao crime. 

“É uma puxada de orelha”, disse o deputado Jim Tedisco. “É sem sentido. É deliberadamente leve.”

Tedisco disse que ativistas dos animais de todo o estado de Nova York não aceitarão sentenças similares em casos futuros.

“Nós vamos tentar mudar sua mentalidade, mas se não der, vamos afastá-lo e tirá-lo das ruas”, afirmou ele.

Peterson anteriormente se declarou culpado por violar um artigo relativo a tortura ou danos a animais por não conseguir proporcionar o sustento adequado ao deixar intencionalmente de fornecer sustento para quatro cães e nove gatos. A acusação é uma contravenção sob os olhos da Lei 353 da Agricultura e Mercados do Estado de Nova York (NYS Agriculture And Markets Law 353).

Tedisco está propondo uma série de projetos de lei. Um deles aumentaria a acusação que Peterson recebeu de delito para crime em casos futuros.

“Se você não fornece comida, água ou um abrigo de forma adequada, é claro que não estava cuidando destes animais”, explicou Tedisco. “Deveria ser um crime.”

Tedisco também acredita que a punição necessita ser mais severa. “Dois anos de prisão e até US$ 5.000 de multa”, disse.

Além disso, Tedisco acredita que deveria haver um processo rigoroso antes que alguém que cometeu um crime similar pudesse ter um animal de estimação novamente algum dia.
“Ele não deveria mais poder ter um animal de estimação, ele teria que passar por tratamento e avaliação psicológica, e um juiz teria condições de considerar se é apropriado para ele algum dia ter um animal novamente,” continuou.

Além disso, Tedisco quer que seja implementado um registro de acesso público em nível estadual para rastrear pessoas que abusam de animais.

“Se você for um dos que estão naquela lista, não vou te dar um animal,” disse.

Tedisco também está pressionando para possibilitar que abrigos cuidem dos animais vítimas de abuso incapazes de ser adotados (porque medidas legais contra seus proprietários ainda estão em andamento), para diminuir a carga financeira desses abrigos.

“Os custos são inacreditáveis; insuperáveis em muitos casos,” contou.

Mas o foco principal continua em garantir que aqueles que abusam de animais sejam punidos de forma adequada e direcionados para ajuda psicológica.

“Devido a terem, na verdade, problemas psicológicos, muitos desses acumuladores realmente pensam que estão ajudando aqueles animais”, disse Tedisco.

Tedisco irá impulsionar os projetos de lei neste ano. Ele participará de uma conferência no dia 3 de junho no Capitólio dos Estados Unidos para o Quinto Dia Anual da Defesa Animal.

O processo contra a co-acusada Rachel Fasnacht, 24, também de Troy, no momento permanece aberto e pendente no Tribunal de Albany.

Fonte: News 10

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.