Homem é condenado por crueldade animal por danos psicológicos a cadela; vídeo

Homem é condenado por crueldade animal por danos psicológicos a cadela; vídeo

Um homem de 31 anos, de Halifax, no Canadá, foi condenado por crueldade animal depois da SPCA ter usado um vídeo como prova de que a sua cadela sofria de ansiedade por ter sido chicoteada repetidamente com a trela.

AVISO: O vídeo apresentado neste artigo pode ser perturbador para alguns leitores.

A SPCA diz ter sido a primeira condenação do género na província, pois através das imagens de vídeo foi possível uma condenação numa situação em que não existem provas físicas de maus-tratos ao animal.

“Este caso em particular é único porque é considerado o sofrimento e ansiedade a que o animal foi exposto durante o incidente”, explica Jo-Anne Landsburg, da Nova Scotia SPCA, à CBC.

Ela acrescenta que em Nova Scotia há várias condenações por crueldade animal nas quais existem provas físicas de que o animal sofreu maus-tratos. Um osso partido, um corte ou até má-nutrição podem mostrar como o animal foi maltratado.

O abuso foi capturado por uma câmara de vigilância. O episódio ocorreu em outubro de 2018, quando ao entrar no prédio DeCoste entornou a bebida que levava na mão. Nas imagens vê-se DeCoste a puxar e arrastar violentamente Sophie pela trela e a chicoteá-la no focinho com a pega da trela, enquanto esta se encolhe e coloca o rabo entre as pernas.

Após uma denúncia, a SPCA dirigiu-se ao local para visualizar as imagens, tendo posteriormente apresentado queixa de DeCoste e ficado com Sophie ao seu cuidado.

Neste caso, não existem lesões visíveis e é difícil de provar que o animal sofreu ansiedade ou danos psicológicos.

De acordo com o noticiado pelo HalifaxToday, em tribunal, a SPCA contou com o testemunho de Rebecca Ledger, especialista em comportamento e bem-estar animal, que atestou que Sophie demonstrava medo, ansiedade e desconforto físico. Foi demonstrado que a cadela sofreu e iria continuar a sofrer se ficasse sob custódia do abusador.

DeCoste foi condenado por crueldade animal a 14 de agosto, está proibido de ter animais durante 3 anos e tem de pagar uma multa de 1.000 dólares.

Landsburg disse que preferia que DeCoste tivesse sido condenado a uma proibição vitalícia e uma multa maior, pois em Nova Scotia o limite são 75.000 dólares. No entanto, o importante foi o feito alcançado pela primeira vez.

Entretanto, Sophie foi adotada por uma nova família através da SPCA.

Fonte: CBC e The Canadian Press via Dogs PT Magazine

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.