Homem é detido, em Candelária (RS), suspeito de abate clandestino, maus-tratos de animais, e crime ambiental

Homem é detido, em Candelária (RS), suspeito de abate clandestino, maus-tratos de animais, e crime ambiental
Foto: Divulgação

A força-tarefa do Programa de Segurança Alimentar RS fiscalizou uma propriedade rural, um açougue e dois mercados no município de Candelária, na quinta-feira, dia 25 de abril de abril. Cerca de uma tonelada de produtos impróprios para o consumo foi apreendida e inutilizada e todos os locais foram autuados.

As principais irregularidades encontradas foram produtos sem procedência, vencidos, sem refrigeração adequada, além de problemas com a rotulagem e reutilização indevida de embalagens. Foram apreendidos também, de forma cautelar, unidades de álcool 92,8° e soda cáustica, produtos com venda proibida em mercados.

Os agentes da força-tarefa cumpriram um mandado de busca e apreensão na propriedade rural de um comerciante, dono de um açougue, que também foi fiscalizado.

O homem foi conduzido à Delegacia de Polícia, por suspeita de abate clandestino, maus-tratos de animais, e crime ambiental. No açougue, foram apreendidos mais de 700 kg de carne. Os produtos foram descartados.

Participaram da operação de fiscalização, o procurador de Justiça André Marchesan, coordenador do Centro de Apoio Operacional do Consumidor e da Ordem Econômica; os promotores de Justiça Mauro Rockenbach, da Promotoria de Justiça Especializada Criminal de Porto Alegre; e Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de Porto Alegre; servidores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRS), Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (SEAPI), Vigilância Sanitária Municipal e Serviço de Inspeção Municipal de Candelária, Patrulha Ambiental da Brigada Militar (PATRAM) e Delegacia de Polícia de Proteção ao Consumidor (DECON).

Fonte: Portal Camaquã

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.