Homem é flagrado batendo em cachorro e gera revolta; VÍDEO

Homem é flagrado batendo em cachorro e gera revolta; VÍDEO

Na tarde da última sexta-feira (26), o Grupo de Operações e Resgate (GOR) foi acionado pela Fundação Camboriuense de Gestão e Desenvolvimento Sustentável (FUCAM) para atender a uma denúncia de maus-tratos a um cão no bairro Monte Alegre, em Camboriú [SC].

Após receberem o chamado e visualizarem o vídeo que evidenciava o animal sofrendo agressões, a equipe do GOR, ciente da gravidade do caso, prontamente acionou a Polícia Civil de Camboriú para intervir na situação, prender o responsável pelas agressões e resgatar o animal do local.

Ao chegarem à residência, acompanhados por um médico veterinário e agentes da Polícia Civil, a equipe do GOR examinou o cão, constatando que, apesar das agressões registradas em vídeo, o animal não apresentava lesões aparentes no momento da visita.

No entanto, diante da gravidade das imagens e do histórico de violência, a equipe esperava uma ação mais incisiva por parte das autoridades policiais. Infelizmente, devido à ausência de lesões visíveis no momento da inspeção, a orientação da Polícia Civil foi registrar um boletim de ocorrência para dar continuidade ao processo legal.

O GOR, embora insatisfeito com o desfecho da ocorrência, ressalta que sua atuação está limitada às suas atribuições e não possui poder de polícia para retirar o animal da residência ou prender o agressor. No entanto, a equipe reiterou seu compromisso em colaborar com as autoridades para garantir que o animal seja resgatado e que o responsável seja devidamente punido o mais rápido possível.

O caso segue agora sob investigação da Polícia Civil, e o GOR permanece atento e disposto a prestar toda a assistência necessária para garantir o bem-estar do animal e a justiça no caso de maus-tratos.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por TopElegance (@jornaltopelegance)

Por Daianny Camargo

Fonte: TopElegance

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.