Homem é multado em R$ 3 mil por maus-tratos a cachorro; suspeita é de que tenha jogado água ou óleo ferventes no animal

Homem é multado em R$ 3 mil por maus-tratos a cachorro; suspeita é de que tenha jogado água ou óleo ferventes no animal
Cachorro foi vítima de maus-tratos em Presidente Prudente. — Foto: Polícia Militar Ambiental

Um homem, de 30 anos, foi multado pela Polícia Militar Ambiental em R$ 3 mil por maus-tratos a um animal doméstico, no Conjunto Habitacional João Domingos Netto, em Presidente Prudente (SP). Segundo a corporação, a suspeita é de que ele tenha jogado água ou óleo ferventes em um cachorro de sua propriedade, causando queimaduras no animal, de raça não definida.

De acordo com a polícia, a equipe foi acionada para atender uma ocorrência de maus-tratos a um cachorro.

No local, os policiais fizeram contato com o morador, que ficou ciente do teor da denúncia e autorizou a entrada dos militares, acompanhando a vistoria no imóvel, nesta quinta-feira (7).

No quintal da residência, foi encontrado um cachorro em situação de maus-tratos com vários ferimentos nas costas.

O envolvido foi encaminhado até a Delegacia Participativa da Polícia Civil, onde foi ouvido e liberado. O cão foi levado a uma clínica veterinária, onde foi constatado que, provavelmente, os ferimentos teriam sido causados por água ou óleo ferventes.

Após receber os cuidados veterinários, o cachorro foi levado até uma Organização Não-governamental (ONG) protetora de animais, que conseguiu um lar voluntário para o cão.

Por parte da Polícia Ambiental, foi lavrado contra o envolvido um auto de infração ambiental no valor de R$ 3 mil por maus-tratos a animal doméstico.

De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia Participativa da Polícia Civil, o dono do cachorro alegou que o animal machucou-se quando foi passar por um local onde havia cacos de vidro e acabou se ferindo.

O homem ainda disse que estaria tratando os ferimentos com pomadas, medicando o animal por conta própria, sem levá-lo a um veterinário.

O morador vai ser investigado pela suspeita da prática de maus-tratos a animal doméstico, crime que está previsto no artigo 32 da lei federal 9.605/1998, com pena de dois a cinco anos de reclusão, multa e proibição da guarda.

O animal foi levado a uma clínica veterinária para a elaboração de um laudo pericial.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.