Homem é preso por maltratar cachorro e matar tatu em Peruíbe, SP

Homem é preso por maltratar cachorro e matar tatu em Peruíbe, SP
Divulgação/Polícia Militar Ambiental

Um homem foi preso em Peruíbe nesta quarta-feira, 16, por matar um tatu-galinha e manter um cachorro com sinais de maus-tratos. O flagrante ocorreu durante operação conjunta da Polícia Militar Ambiental com a Fundação Florestal, pela estrada do Cossoca, no interior do Parque Estadual da Serra do Mar, em Unidade de Conservação Integral.

Além dos animais, no local os policiais ainda apreenderam uma porção de 14 gramas de maconha. O suspeito foi preso, sem concessão de fiança, no 1º Distrito Policial de Peruíbe, onde foi registrada a ocorrência por maus-tratos, matar animal nativo e porte de drogas. O auto de infração elaborado pela PM registrou as infrações ambientais, com multa de R$ 7 mil, além da apreensão do cachorro, do tatu morto e do facão usado no abate.

O cachorro foi submetido aos cuidados do veterinário do projeto Anjinhos da Rua que o medicou e o encaminhou ao Centro de Controle de Zoonoses da cidade. 

Guarujá

A Polícia Militar Ambiental também realizou operação em Guarujá, no Jardim Enseada, onde foi constatada invasão, com aterramento e construções irregulares. Os policiais confirmaram o impedimento da vegetação nativa com a construção de duas moradias de madeirite cobertas por telhas de fibrocimento.

Como o local não está inserido em Área de Preservação Permanente e Unidade de Conservação, foram elaborados boletins de ocorrência, já que a vegetação em seu entorno de floresta alta de restinga em estágio secundário médio de regeneração e especial proteção por se tratar de bioma da Mata Atlântica, sendo aplicadas ainda sanções de advertência e embargado de área.

Segundo a Polícia Militar Ambiental, a parte penal da infração ambiental será oficiada à delegacia de polícia da área, com base no art. 48 da Lei Federal 9605/98. Ainda, o local já foi alvo de fiscalização da Força Tarefa da Guarda Municipal, que compareceu no local para realizar o monitoramento de novas construções irregulares, sendo que todas as moradias, encontram-se identificados com os Autos de Infração Ambiental.

Fonte: Costa Norte

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.