Homem é preso suspeito de criar galos para rinhas e de fazer as disputas na frente do filho, em Formosa, DF

Homem é preso suspeito de criar galos para rinhas e de fazer as disputas na frente do filho, em Formosa, DF

Um homem de 28 anos foi preso em Formosa, no Entorno do Distrito Federal, suspeito de criar galos para rinhas e de fazer as competições na própria casa, na frente do filho dele, que é menor de idade. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito foi encontrado quando a corporação investigava o aluguel clandestino de armas para organizações criminosas cometerem roubos na região.

O nome do investigado não foi divulgado. A reportagem não conseguiu localizar a defesa dele.

A prisão em flagrante ocorreu na última quarta-feira (24), durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão. Na casa do homem, foram apreendidos dois revólveres e 22 munições.

Segundo o delegado responsável pelo caso, José Antônio Sena, os policiais encontraram galos feridos dentro de gaiolas e materiais utilizados para a rinha das aves. O suspeito alegou à polícia que os galos eram dele e do tio e que não criava aves para briga, conforme o delegado.

Apesar da versão do suspeito, o delegado informou que imagens gravadas no celular do homem comprovam que as lutas aconteciam dentro da casa dele e eram acompanhadas pelo filho. A polícia não soube dizer a idade exata do menino, mas informou que ele tem menos de 10 anos.

Por conta disso, além de responder por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito e maus-tratos aos animais, o investigado foi autuado por corrupção de menores. “Qualquer influencia que o responsável legal exerça para que o menor de 18 anos presencie atos de maus-tratos a animais, praticar crimes ou induzir crimes atípicos e no meu entendimento ele estava facilitando e induzindo a prática de maus-tratos”, explicou o delegado.

Os 12 galos foram deixados no local, sob os cuidados da mãe do investigado. “Pelo fato de o local ter estrutura e o ringue ter sido destruído, as aves ficaram com a mãe do criminoso, que se comprometeu de não retirar os animais de lá até que se ache um outro local para os animais”, contou o delegado.

A polícia informou ainda que suspeito estava em regime semiaberto há quatro meses e estava sendo monitorado pela tornozeleira eletrônica. Ele havia sido preso anteriormente por tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo.

Por Yanka Araújo e Camila Castro

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.