Homem esmurra e decapita pombo que roubou batata frita ao filho

Homem esmurra e decapita pombo que roubou batata frita ao filho

Um homem, de nacionalidade francesa, protagonizou um episódio de violência contra pombos, no Rossio, que deixou em choque quem assistiu, nomeadamente crianças. O caso aconteceu há cerca de duas semanas e foi relatado por Susana Almeida no Facebook.

Conta Susana que, naquele dia (22 de junho) foi almoçar ao McDonald’s do Rossio, em Lisboa. Na esplanada estavam “os pombos do costume”. Mas o que viria a assistir de seguida já foge ao habitual. 

“À nossa frente estava um homem francês com o seu filho de cerca de 3 anos. A certa altura os pombos atacaram as batatas fritas da criança e o pai começou ao soco aos pombos e agarrou num e, com grande violência, arrancou-lhe a cabeça”, relata.

A filha, de 12 anos, começou a chorar assim que viu o sangue espalhado sobre as mesas e chão. “Eu comecei aos gritos com o homem e a impedi-lo de se ir embora, pois ia chamar a polícia. Felizmente as pessoas juntaram-se a mim e fizemos um cerco à volta deste anormal até a polícia chegar”, prossegue, mostrando-se indignada.

De acordo com Susana, quando os polícias chegaram “ficaram incrédulos com a situação. Sem palavras para descrever o que se tinha passado, disseram que o agressor seria acusado de maus tratos animais” e por ter cometido aquele ato de violência num local público onde também se encontravam dois menores.

O homem foi então levado para a esquadra da polícia, relata Susana, acrescentando que a própria, assim como a filha,  a gerente do McDonald’s e outras duas pessoas foram identificadas como testemunhas. 

“A crueldade contra pombos tem vindo a ser normalizada, até porque as instituições públicas também a praticam com as práticas cruéis de apanhar e matar estes animais”, comentou a SOS animal, no Facebook, referindo-se ao caso.

Em declarações ao jornal Público, a provedora dos Animais de Lisboa afirmou que este terá sido um “ato gratuito de agressão”, assinalando que “os maus tratos animais estão também associados a um carácter violento também contra as pessoas”.

“Hoje é um pombo, amanhã um cão e no outro dia é uma pessoa”, afirmou, defendendo que é necessário alargar a legislação para que atos desproporcionais como o relatado sejam punidos.

Fonte: Notícias ao Minuto / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.