UK rato img 757x4262016 01 22 16 57 34 509434 H

Homem mata rato com dentada na cabeça

Animal morreu. Vídeo está a causar polémica no Facebook.

Por C.C.

UK rato img 757x4262016 01 22 16 57 34 509434

O britânico Matt Maloney fez um vídeo em que aparece a morder a cabeça a um rato vivo e a beber vodka. O animal acabou por morrer e o homem publicou o vídeo no Facebook. Entretanto o vídeo já foi removido da rede social, mas as imagens continuam a incendiar a internet.

“Por que fizeste isso?”, “O que ganhas com isso? És apenas doente e desumano” e “Por que tens de matar animais no teu processo de busca de atenção?” são alguns dos comentários deixados no vídeo por parte de internautas indignados, segundo o site The Telegraph.

Em resposta às reações negativas e até ameaças violentas, Maloney argumentou que o rato era para alimentar a cobra de estimação e que ia acabar sempre por morrer. O vídeo já foi apagado, mas algumas das imagens guardadas continuam a chocar os internautas

UK rato img 757x4262016 01 22 16 58 32 509435

“Matei aquele rato dez vezes mais rápido que a minha cobra. Tenho 90% de certeza de que vocês têm veneno para ratos e ratoeiras em casa. Parem de agir como cobardes e aceitem a cadeia alimentar”, respondeu Matt Maloney.

Antes de ser eliminado, o vídeo somava mais de 200 mil visualizações.

Caso está a ser investigado

A Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals (RSPCA), uma associação britânica que promove o bem-estar dos animais, garantiu já estar a investigar o caso. “Esperamos ter algumas informações no que diz respeito ao autor, mais cedo ou mais tarde. Vamos apanhar a pessoa”, explicou Michael Beatty, porta-voz da RSPCA.

O site The Telegraph acrescenta que, no Facebook, o britânico anunciou que está a planear outro vídeo em que aparecerá a “ser mordido por uma cobra e a beber um peixe vivo num copo com vodka”.

Fonte: Correio da Manhã / mantida a grafia lusitana original

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.