Homem que arremessou cachorro contra portão no Lago Sul (DF) é solto

Homem que arremessou cachorro contra portão no Lago Sul (DF) é solto
Material cedido ao Metrópoles

O homem de 47 anos que arremessou brutalmente uma cadela filhote contra um portão no Lago Sul foi solto na manhã de terça-feira (11/7), após passar por audiência de custódia. O ex-tutor do animal estava detido desde domingo (9/7).

Segundo decisão do juiz do Núcleo de Custódia do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), o homem em situação de rua responderá ao processo em liberdade provisória. O magistrado não arbitrou fiança ao preso.

Ainda de acordo com a decisão, ele deverá cumprir medidas cautelares, dentre elas comparecer a todos os atos do processo, não ausentar-se do Distrito Federal por mais de 30 dias, a não ser que autorizado pelo Juízo processante, e, caso obtenha endereço fixo, comunicar no juízo natural competente, com a consequente proibição de mudança de endereço sem comunicação à Justiça.

Agressão brutal

O Metrópoles revelou imagens gravadas por câmeras de segurança que flagraram o momento em que o próprio tutor levantou o animal pela coleira e o jogou contra a grade de uma casa, na QI 16. A cena ocorreu no sábado (1º/7).

Os moradores da região ficaram indignados ao ver as cenas e denunciaram o caso à polícia.

Veja imagens:

O agressor vive em situação de rua, o que dificultou a localização dele. Policiais militares encontraram o suspeito no domingo (9/7), na QI 13 do Lago Sul.

Ele empurrava uma espécie de carrinho com uma caixa de papelão dentro, na qual estava a cachorrinha — parcialmente envolta em plástico bolha, com a boca amarrada com um barbante e visivelmente assustada.

O autor das agressões foi levado para a 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), onde ficou detido. A cadela, de nome Beth, ficou sob cuidados da organização não governamental (ONG) Adoção São Francisco.

Advogada do Fórum de Defesa Animal e responsável pela ONG, Ana Paula Vasconcelos contou que a cadela tem cerca de 4 meses e foi levada para uma clínica veterinária ao ser resgatada. O animal passa bem.

“A princípio, ela estava com verminose, um galo na cabeça e uma ferida na orelha. Felizmente, não teve qualquer fratura, que era o que mais nos preocupava. Ela também estava desnutrida e anêmica, pois não devia receber alimentação adequada”, completou Ana Paula.

Agora, Beth ficará em um lar temporário, enquanto aguarda por adoção.

Quem tiver interesse pode entrar em contato com Ana Paula pelo telefone 61 98215-4751.

Maltratar animal é crime, com pena de prisão que varia de dois a cinco anos, e prevê ainda pagamento de multa, bem como a perda da guarda do animal. Por Thalita Vasconcelos

Fonte: Metrópoles

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.