Homem salva touro de uma tourada e mostra ao mundo que o ‘esporte’ é cruel

Homem salva touro de uma tourada e mostra ao mundo que o ‘esporte’ é cruel

Fadjen é o nome desse animal que muitos temem, porém o touro não é agressivo, pelo contrário se mostra muito adorável, seu tutor resolveu salvá-lo de um esporte que poderia ser bem mais cruel para o animal do que muitas pessoas imaginam.

De acordo com relatos de seu tutor, afirmou que decidiu comprar o animal, que estava prestes a ser enviado para uma tourada em Barcelona, porém revelou que teve medo do animal ser agressivo “Quando perguntei se era difícil educar o touro, me responderam; se você cuidar bem vai ver que ele pode ser mais fiel do que um cão”, afirmou Christopher.

Christopher Tomas é um homem do campo que resolveu lutar em prol dos direitos dos animais, os antigos tutores do animal iam colocá-lo em uma tourada, ou seja, por mais que eles cheguem a conhecer a personalidade do touro, acabam enviando para um novo estilo de vida que muitas vezes pode causar riscos físicos.

Após comprar Fadjen, Tomas fez questão de mostrar para todos que o touro não era agressivo, por tanto, não são todos que possuem uma agressividade, ele queria que as pessoas soubessem que touros não devem ser usados em esportes que muitas vezes chegam a causar danos a sua vida.

Christopher fez questão de tirar várias fotos com camisa vermelha aio lado de seu novo amigo, mostrando que, o que faz o animal ficar furioso é o tipo de tratamento que recebe, como por exemplo o incentivo a causar algum tipo de ameaça e maus tratos.

O resultado da relação entre os dois é a mais positiva possível, Fadjen se comporta como um cachorro, no qual trata o seu tutor com muito respeito e carinho. Essa trajetória fez com que muita gente percebesse que animais podem ser sensíveis, independente do seu tamanho. É necessário respeitar o espaço e tratá-los com os cuidados importantes, para que a relação entre animal e humano seja a melhor possível.

Fonte: Virgulistas

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.