Humanos em casa é boa notícia para abrigo de cães da região metropolitana de Detroit, EUA

Humanos em casa é boa notícia para abrigo de cães da região metropolitana de Detroit, EUA
Rhett foi um dos últimos cães a deixar o abrigo Detroit Animal Care and Control. Ele está em um lar temporário agora e deveria ser adotado até o final da semana. Crédito: Detroit Animal Care and Control

Se você vai passar as próximas semanas em casa, por que não ter um amigo peludo para te fazer companhia?

No mês passado, mais de 130 cães e gatos deixaram o abrigo Detroit Animal Care and Control, a maioria rumo a lares temporários. Funcionários e voluntários viram um grande aumento de famílias a oferecer lar temporário, visto que na região metropolitana de Detroit há agora mais gente em casa, longe do trabalho e da escola devido às medidas de distanciamento social da COVID-19.

“Todos os cães elegíveis estão atualmente fora do abrigo e em lares temporários”, disse Kelsey Ravin, integrante do conselho da organização Friends of Detroit Animal Care and Control (DACC).

Oitenta e dois animais foram para lares temporários entre 16 e 22 de março. A maioria deles eram cães, mas também houve alguns gatos, disse ela.

“Outros 38 cães foram transferidos para um dos parceiros de transferência aprovados pelo DACC, grupos de resgate e outros abrigos, 14 cães devolvidos aos seus proprietários e 24 cães e um gato oficialmente adotados.”

A maioria dos animais foi buscada diretamente no abrigo, que fica na rodovia Interestadual 75, ao norte do East Grand Boulevard, em Detroit. Alguns filhotes, no entanto, ganharam lar temporário por meio do “Cuddle Shuttle”, um programa de transporte abrigo-lar do DACC para promover adoções. A voluntária do DACC Tiffany Perkins, de Royal Oak, levou para casa um dos últimos cães do abrigo. Ela está dando lar temporário para Rhett, um American Staffordshire Terrier marrom e branco.

“Ele era um vira-lata, então foi um dos últimos cães que restaram”, disse Perkins, que também é voluntária no abrigo e contou que tanto o interesse em dar lar temporário a animais de estimação como as adoções aumentaram naquela semana. Ela manterá Rhett em sua casa com seus dois cães malteses, e já está recebendo pedidos de adoção de amantes de cães, na esperança de tornar Rhett uma parte oficial de suas famílias.

“Ele é tão carinhoso, tive muita sorte”, disse Perkins, e revelou que o jovem Rhett tem sete encontros marcados e que previa a sua adoção até o final daquela semana.

Perkins disse que não é apenas o fato de as pessoas estarem mais em casa que levou ao aumento do interesse em dar lar temporário e adotar, mas também porque elas estão acompanhando mais as redes sociais na quarentena, e assim as notícias sobre quais cães estão disponíveis, com fotos e detalhes sobre sua personalidade e história, têm se espalhado mais.

Tiffany Perkins e seu hóspede temporário Rhett, que roubou os holofotes de seu cachorro George Clooney, à esquerda, em sua casa em Royal Oak, Michigan, em 24 de março de 2020.
crédito: Daniel Mears, The Detroit News

“Este é meu segundo hóspede temporário desde que começou a pandemia de coronavírus. Hospedei uma cadela, Adalie, e em poucos dias ela foi adotada, visto que eu tinha muito mais tempo para divulgá-la nas redes sociais”, disse ela. “Temos um público maior e muitas pessoas estão em casa, então elas podem fazer isso agora.”

“Nosso objetivo é não mandar nenhum deles de volta para o abrigo”, disse ela.

A quarentena também tem feito muita gente se sentir solitária em casa, sem companhia.

“Cães de abrigo são sedentos por carinho”, disse ela. “Para muitas pessoas que moram sozinhas, é uma ótima maneira de ter esse carinho e atenção em casa. Elas podem criar uma rotina em torno de um cachorro. Sem uma rotina de trabalho, elas agora têm esse cachorro e criam uma rotina baseada nele.”

Perkins disse que o abrigo recebeu um bom feedback sobre como os cães ajudam pessoas com ansiedade e depressão, que podem piorar em condições de isolamento como essa.

Existe uma preocupação de, quando as coisas voltarem ao normal, o abrigo ver uma onda de animais retornando. Perkins e outros voluntários usam o tempo longe do trabalho para intensificar os esforços para que o máximo possível de cães seja adotado permanentemente.

Tiffany Perkins e seu hóspede Rhett em sua casa em Royal Oak, Michigan, em 24 de março de 2020.
crédito: Daniel Mears, The Detroit News

“Estamos tentando tirar as melhores fotos, escrever ótimas biografias e manter a rede conectada antes de voltarmos ao trabalho, para então recomeçarmos com a folha em branco”.

Enquanto o abrigo do Detroit Animal Care and Control estiver livre de latidos, aqueles que desejem dar lar temporário a um cão devem entrar em contato diretamente com outro abrigo da área. Perkins e Ravin recomendam procurar abrigos e grupos de resgate nos subúrbios.

Por Melody Baetens / Tradução de Alda Lima

Fonte: The Detroit NewsPublished

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.