IMA elabora lista com principais espécies da fauna alagoana

A captura para o comércio ilegal e a utilização de animais silvestres sem a devida autorização representa grave ameaça à fauna alagoana e é um dos principais alvos nas ações de fiscalização do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA-AL). Pensando nisso, a equipe do Núcleo de Gestão Faunística do órgão, decidiu lançar uma publicação com as espécies mais apreendidas pelos técnicos durante as fiscalizações.

Com previsão para lançamento ainda este ano, a lista servirá como instrumento de consulta para órgãos de combate ao tráfico, como o Batalhão de Polícia Ambiental (BPA-AL) e o próprio IMA, podendo ser amplamente utilizada pela população, além de subsidiar políticas públicas, ações de educação ambiental e futuras pesquisas.

Segundo Epitácio Correia, consultor ambiental do IMA e médico veterinário, a equipe já deu passos importantes para a concretização do projeto. “Forneceremos dados como alimentação, áreas de ocorrência e características dos animas. São dados objetivos, para que, durante a ação, os fiscais possam identificá-los”, afirmou.

A equipe fará o levantamento de cerca de cem espécies silvestres que ocorrem em Alagoas. “Entre elas, iremos catalogar animais exóticos e outros que não fazem parte da fauna alagoana, mas que também chegam em nosso território”, explicou Ana Cecília Lopes, consultora ambiental do IMA, bióloga e médica veterinária.

O registro das espécies está sendo feito com animais que dão entrada no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama. “O banco de dados de imagens do IMA está em andamento e em fase final”, frisou Marcelo Normande, consultor e gestor ambiental do órgão. “A equipe também teve apoio do Núcleo de Fauna do Ibama, com o acesso a dados e informações”, completou Gabriela Mota, bióloga e consultora ambiental.

Gefau

O IMA-AL criou, em 2015, através da Portaria IMA nº 29/2015, o Núcleo de Gestão Faunística (Gefau) com a finalidade de fiscalizar, monitorar e proteger os recursos faunísticos do Estado de Alagoas.

A equipe da Gefau utiliza o Cetas, através de uma parceria firmada com o Ibama, para transferência de conhecimentos e utilização do espaço, para atender animais apreendidos, principalmente aqueles que precisam passar por algum tipo de atendimento e recuperação.

Adicionalmente, o setor é responsável pela realização de vistorias e avaliação de áreas de soltura de animais silvestres, pelo levantamento de fauna silvestre em áreas de interesse do Instituto e pela difusão de informações e conhecimento pertinentes à temática.

Fonte: Aqui Acontece (com informações da Agência Alagoas)

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.